“Ganhando ou perdendo, nossa campanha é parte de uma crescente insurreição política”, afirma Chelsea Manning

Fonte: Página Chelsea Manning Is Free

Transativista e ex-soldado ficou em segundo lugar nas primárias para vaga ao Senado do Partido Democrata de Maryland

A ex-soldado Chelsea Manning publicou agradecimento a todos que contribuíram com sua campanha nas primárias do Partido Democrata em Maryland. Manning disputou vaga ao Senado do estado com uma pauta bem próxima daquela que elegeu Alexandria Ocasio-Cortez nas primárias do Partido Democrata para Deputada Federal no distrito do Queens em Nova York. Manning ficou conhecida em todo mundo após ter sido acusada de vazar documentos da inteligência estado-unidense para o Wikileaks, a ex-soldado ficou presa por 7 anos e foi na prisão que iniciou seu processo de transição. Chelsea Manning ficou em segundo lugar no pleito, ela obteve 32.201 votos e atingiu um percentual de 5,7% da votação nas primárias em Maryland. Há um ano ela teve a pena comutada pelo ex-presidente Obama como último ato de seu governo e iniciou sua militância em defesa da população TT, imigrantes e não-brancos. O texto original pode ser acessado aqui.

Leia abaixo a íntegra do agradecimento e da avaliação de Manning sobre a disputa das primárias do Partido Democrata:

No ano passado, quando fui libertada da prisão, emergi num mundo de ódio e injustiça. Eu viajei pelo país. Eu vi imigrantes, pessoas não-brancas e pessoas trans sob ataque. Vi nossas comunidades mais vulneráveis vivendo sob uma ocupação militar de forças policiais violentas e fortemente armadas. Eu vi como é uma ocupação militar em primeira mão: participei da ocupação do Iraque pelos EUA de 2009 a 2010.

Testemunhar o quão assustador e injusto o mundo se tornou me levou a concorrer ao Senado americano em Maryland. Depois de passar quase uma década da minha vida sofrendo com a falta de moradia, a guerra, a prisão e o confinamento solitário, fiquei imaginando se deveria me afastar dos holofotes e passar meu primeiro ano de recuperação da liberdade. Mas eu não consegui ficar parado. Não consegui ver as coisas piorarem enquanto os nossos chamados líderes continuam a tratar esses problemas sistêmicos com chavões vazios e reformas graduais.

Nossa plataforma de campanha avançou uma agenda antiautoritária com políticas que muitos moradores de Maryland já apoiam. Exigimos a abolição completa da Immigration and Customs Enforcement (ICE) – serviço de imigração e alfândega dos EUA, que continua a aprisionar crianças e separar inúmeras famílias com suas táticas brutais e semelhantes à Gestapo. Chamamos a difundir e desmantelar nossas forças policiais e militares e acabar com o terror e a violência que estes infligiram ao exterior e em nossas próprias comunidades. Pedimos o fechamento de prisões, a abertura de fronteiras e a assistência médica universal gratuita para todos.

Queríamos pautar essas idéias para o mainstream e no pleito. Eu tentei usar minha plataforma como uma figura pública para enviar uma mensagem: cada um de nós tem poder, e esse poder vai muito além do que fazemos em uma cabine de votação ou em um protesto. Eu quero lembrar as pessoas que nós temos um ao outro e podemos fazer melhor.

Nos últimos meses, tornou-se claro que minhas experiências tiveram um enorme impacto na minha saúde física e emocional. Eu recuei da campanha para priorizar meu próprio bem-estar. Eu encontrei o espaço e o tratamento que eu preciso para me curar, com amigos próximos ao meu lado para fornecer amor e apoio. Sou grata a todos que acreditaram em mim, incluindo os mais de mil doadores individuais que generosamente contribuíram para nossa campanha. Sou grata pelo trabalho da minha incansável equipe de campanha e nossa equipe de centenas de voluntários, os quais gentilmente deram seu tempo para ajudar a espalhar nossa mensagem.

Ganhando ou perdendo, nossa campanha é parte de uma crescente insurreição política. Recentemente, vimos pessoas comuns em todo o país se mobilizarem para fechar centros de detenção do ICE e confrontar políticos e policiais por meio de ações diretas individuais e coletivas. Nosso poder é real. Nosso movimento é maior do que qualquer eleição, e o establishment político ignora nossas vozes por sua própria conta e risco.

Eu não estou desistindo. Juntos podemos fazer melhor. Juntos podemos vencer.

Juntos #WeGotThis

Chelsea E. Manning