Chile e Honduras rompem lógica da hegemonia de direita na América Latina

Guillier, do Chile, e Nasralla, de Honduras

Eleições nas duas pontas do continente mostram que o descrédito na política pode favorecer alternativas progressistas