Sobre Jerusalém, Trump está provando que a direita israelense estava certa o tempo todo

O presidente Donald Trump com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu no final da visita de Trump a Israel, 23 de maio de 2017. (Kobi Gideon : GPO)

Ao reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, o presidente dos Estados Unidos está impulsionando o argumento dos colonos de que, a longo prazo, "os fatos no terreno" são mais importantes do que a diplomacia e que Israel eventualmente ganhará legitimidade por suas ações - até a anexação unilateral