O DIREITO A AUTO-DEFESA

fb_lula
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone

O ataque a tiros contra o Acampamento Lula Livre, em Curitiba, é mais um sinal de que o neofascismo avança sobre a sociedade e as instituições.

Não se combate a violência reacionária apenas com denúncias e protestos.

Se deixados com as mãos livres, os neofascistas fazem da violência, como a história o demonstra, instrumento de intimidação das forças populares e de organização da malta contra-revolucionária.

Esses bandos precisam ser derrotados em todos os terrenos, incluindo o da confrontação aberta.

Os partidos, movimentos e grupos progressistas não podem ser alvos inertes e descuidados a esses ataques, pendurados na ilusão de que o sistema de justiça, penetrado pelo neofascismo, irá combater a delinquência política e o terror de direita.

Está mais que na hora para se organizar a auto-defesa do povo brasileiro, sob a coordenação dos partidos e das frentes populares.

Lamúrias e denúncias não detém o fascismo.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on LinkedInEmail this to someone
Breno Altman é diretor editorial do site Opera Mundi.