Hoje na História: 1969 - Boeing 747 realiza primeiro voo comercial

Se trata do avião mais conhecido da história da aviação, com recorde de passageiros transportados por 37 anos

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Max Altman (1937-2016), advogado e jornalista, foi titular da coluna Hoje na História da fundação do site, em 2008, até o final de 2014, tendo escrito a maior parte dos textos publicados na seção. Entre 2014 e 2016, escreveu séries especiais e manteve o blog Sueltos em Opera Mundi.

Atualizada em 07/02/2018 às 14:32


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Em 9 de fevereiro de 1969, o Boeing 747, avião widebody, de larga fuselagem e longo alcance, projetado e produzido pela companhia norte-americana Boeing, faz seu primeiro vôo comercial. Foi o primeiro avião widebody produzido medindo duas vezes e meia o tamanho do Boeing 707, o maior e mais comum avião de longo alcance na década de 1960.

Conhecido por 747 ou pelo apelido Jumbo, é o avião mais conhecido da história da aviação. Manteve o recorde de passageiros transportados por 37 anos, desde seu primeiro vôo. O jumbo é um avião quadrimotor turborreator que apresentou a primeira configuração double decker – dois andares em parte da aeronave – da aviação, que constitui sua característica física mais notável: a corcova súpero-anterior. A Boeing projetou o andar superior ao pavimento para servir como um salão, primeira classe ou para lugares extras, e permitir que as aeronaves fossem facilmente convertidas em cargueiros através da remoção de assentos e pela instalação de uma porta de carga na sua parte dianteira.

À época de seu desenvolvimento, a Boeing esperava produzir logo aviões supersônicos, o que seria prejudicial ao Jumbo se este não fosse conversível. Por isso esperavam a venda de até 400 unidades, até que se tornasse obsoleto, mas ele excedeu as previsões de críticos do projeto, com a produção passando da marca de mil em 1993. Em junho de 2009, 1.416 aeronaves foram construídas, em 107 configurações diferentes. O avião ainda é produzido e está disponível nas configurações para passageiros, cargas e outros – executivo e militar.

O modelo 747-400, a mais conhecida e a segunda versão mais recente, está entre os aviões mais rápidos em serviço, com velocidade de cruzeiro de aproximadamente 913 km/h e um alcance geodésico aproximado de 13.450 km - alcance intercontinental. Esta versão, na configuração para transporte de pessoas, pode acomodar 416 passageiros, típico de três classes, comum em vôos internacionais, ou 524 passageiros, típico de duas classes, comum em vôos curtos e domésticos. O 747 será futuramente substituído pelo Boeing Y3, parte do Boeing Yellowstone Project de desenvolvimento de novos aviões.

No modelo 747-800, a versão mais atual, a velocidade foi mantida. Entretanto, a autonomia de vôo aumentou para 14,815 km, aproximadamente. O peso máximo de decolagem também foi alterado para 442.250 kg. O mesmo aconteceu com o número máximo de passageiros. Passou de 524 para 581, na versão configurada com duas classes. A versão com três classes agora, pode, receber até 467 passageiros.

Wikicommons

Boeings 747 da companhia área francesa Air France no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris 

Foto:

1807: Assinada Paz de Tilsit, auge do reinado de Napoleão

1954: Cessar-fogo na Indochina

Primeiro-ministro do Paquistão renuncia

 

Projeto

Tudo começou em 1960, quando a Força Aérea dos Estados Unidos lançou uma concorrência para um novo modelo de avião para transporte pesado e de alcance estendido. A Boeing apresentou o seu projeto, mas não foi a vencedora. Restou ao fabricante oferecer a aeronave para uso civil, e assim nasceu o modelo 747, com capacidade uma vez e meia superior ao maior modelo em uso na época. As 25 primeiras encomendas foram feitas pela Pan Am, seguidas por Lufthansa e Japan Airlines.

O lançamento foi em 1966, e o primeiro voo em 1969. Em janeiro de 1970, o Jumbo fez sua estréia em voos comerciais, cruzando o Atlântico nas cores da Pan Am, inaugurando assim a era dos wide-body, com dois corredores de poltronas.

O 747-400, a única versão ainda fabricada, mas com vendas suspensas, foi a que recebeu a maior quantidade de inovações técnicas e a introdução de novos materiais que permitiram uma significativa redução de peso e, como consequência, redução no consumo de combustível, além da adoção de motores mais silenciosos e de manutenção mais barata. Entrou em serviço em 1989, tendo a Northwest Airlines como seu primeiro cliente. Esta versão modernizada possui capacidade máxima de até 580 passageiros, em configuração de classe única, comprimento de 70,7 metros, envergadura de 64,4 metros, velocidade de 939 km/h, e capacidade de carga de 412,8 toneladas.

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Escravidão e Liberdade

Escravidão e Liberdade

A editora Alameda traz uma seleção especial de livros escravidão, abolição do trabalho escravo e sobre cultura negra. Conheça o trabalho de pesquisadores que se dedicaram profundamente a esses temas, centrais para o debate da questão racial e da história do Brasil. 

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias