Aula Pública Opera Mundi - Esquerda e direita: que saída elas oferecem para crise?

Assista programa inaugural com Breno Altman sobre a reorientação ideológica da política mundial após crise de 2008

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Opera Mundi estreia nesta quinta-feira (07/11) a série de programas “Aula Pública”, realizado em parceria com a TV Unesp.  A partir de hoje, serão publicados semanalmente, durante cinco quintas-feiras, as primeiras aulas, gravadas em São Paulo no começo de outubro.

O jornalista Breno Altman discute a questão "Esquerda e direita: que saída elas oferecem para crise?”. Em sua fala, o diretor editorial de Opera Mundi defende que o "mundo ainda não se decidiu entre o projeto da austeridade e da distribuição de renda e riqueza".

Confira a programação completa aqui.

Veja o primeiro bloco:



No segundo bloco, Breno Altman responde uma pergunta de Victor Farinelli, correspondente de Opera Mundi no Chile:




No terceiro bloco, Breno Altman responde as perguntas do público da PUC-SP 



 

História provou que democracia é melhor fonte para esquerda chegar ao poder, diz Lula

Em São Paulo, irmão de Chávez pede mundo "desintoxicado das práticas neoliberais"

As sementes do fascismo, no século 21

 

Leia Mais

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Escravidão e Liberdade

Escravidão e Liberdade

A editora Alameda traz uma seleção especial de livros escravidão, abolição do trabalho escravo e sobre cultura negra. Conheça o trabalho de pesquisadores que se dedicaram profundamente a esses temas, centrais para o debate da questão racial e da história do Brasil. 

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Irã continua cumprindo acordo nuclear, diz AIEA

Em primeiro relatório após a saída dos Estados Unidos, Agência Internacional de Energia Atômica defende pacto e ressalta que Teerã está fazendo sua parte em troca de alívio de sanções internacionais