Aula Pública Opera Mundi - Integração latino-americana é benéfica ao Brasil?

"Não dá para ter uma integração equilibrada dentro do quadro da América do Sul", afirma o professor Luis Fernando Ayerbe

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Opera Mundi TV e TV Unesp lançam o quarto programa da série "Aula Pública". Na edição desta quinta-feira (28/11), Luis Fernando Ayerbe, historiador e professor da Unesp, responde: "A integração latino-americana é benéfica ao Brasil?". "Como a economia brasileira destoa em termos de tamanho das outras economias, não dá para ter uma integração equilibrada dentro do quadro da América do Sul", afirma Ayerbe.

Leia também:
Conheça oito fatos marcantes sobre integração regional na América Latina

Assista ao primeiro bloco:




No segundo bloco, Luis Ayerbe responde a pergunta da correspondente de Opera Mundi na Venezuela, Luciana Taddeo.

Assista também às Aulas Públicas de Breno Altman, Leonam Guimarães e Sérgio Amadeu




No terceiro bloco, Ayerbe responde perguntas do público da PUC-SP

 

Brasil e Alemanha esperam que ONU vote resolução por privacidade na internet ainda em 2013

Instituto Lula exibe primeiro documentário de série sobre presidentes africanos

Dilma e Humala afirmam que integração entre os dois países irá aumentar

 

Leia Mais

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Escravidão e Liberdade

Escravidão e Liberdade

A editora Alameda traz uma seleção especial de livros escravidão, abolição do trabalho escravo e sobre cultura negra. Conheça o trabalho de pesquisadores que se dedicaram profundamente a esses temas, centrais para o debate da questão racial e da história do Brasil. 

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Irã continua cumprindo acordo nuclear, diz AIEA

Em primeiro relatório após a saída dos Estados Unidos, Agência Internacional de Energia Atômica defende pacto e ressalta que Teerã está fazendo sua parte em troca de alívio de sanções internacionais