Aula Pública Opera Mundi: Venezuela é uma ditadura ou uma democracia?

No segundo episódio da nova temporada, Gilberto Maringoni discute processos democráticos venezuelanos

No segundo episódio da nova temporada da Aula Pública Opera Mundi, o jornalista e professor de Relações Internacionais da UFABC, Gilberto Maringoni, responde: mas afinal, a Venezuela é uma ditadura ou uma democracia?


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Uma das marcas básicas de uma democracia é a realização previsível e constante de eleições. Em 15 anos, os venezuelanos realizaram 19 processos eleitorais. Então, esta pergunta (ditadura ou democracia) é feita mais em função da oposição da mídia internacional, de parte da imprensa local e pelo que se difunde da imagem do ex-presidente Hugo Chávez", analisa Maringoni.

Reprodução

Gilberto Maringoni responde: A Venezuela é uma ditadura ou uma democracia?


Assista ao primeiro programa da temporada:
Franklin Martins: No Brasil, tentam demonizar regulamentação da mídia

A missão do Ipea na Venezuela

Charge do Latuff: Governo de Nicolás Maduro completa 1 ano

Figueiredo diz que houve “progresso real” no diálogo entre oposição e governo da Venezuela

 

Assista ao primeiro bloco:


No segundo bloco, Maringoni destaca que a Venezuela enfrenta problemas na independência de poderes, mas nada que inviabilize o processo democrático do país. "O embate de forças criou uma democracia muito dura na Venezuela, que, agora, precisa se estabilizar. Assista:



No último bloco, Maringoni discute a importância de Hugo Chávez como ator político na Venezuela e na América Latina: "foi um figura política extraordinária", analisa. Assista:

 

Leia Mais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias