Kenken: desafio de matemática nº 298

Jogo japonês combina números e operações matemáticas. Teste sua habilidade!

Um quebra-cabeças formado por números. Não é o Sudoku, jogo que ganhou fama mundial, mas um irmão muito mais legal: o Kenken. O nome, em japonês, significa "inteligência ao quadrado".

O jogador também precisa preencher com números de 1 a 4 ou de 1 a 6, como no Sudoku, um diagrama formado por quadradinhos. Mas não basta distribuir os números sem repeti-los – também é preciso fazer com que resolvam operações matemáticas sugeridas dentro das linhas grossas.

Como jogar:



1. Escolha um nível: 4 x 4 ou 6 x 6. Imediatamente, o jogo será aberto e você poderá testar suas habilidades matemáticas.

2. Cada grupo delimitado por linhas grossas de células é chamado de gaiola. A operação matemática dentro de cada gaiola é uma só: adição (+), subtração (-), multiplicação (×) ou divisão (÷). Um exemplo: se numa caixa houver dois quadradinhos em branco, e estiver indicado 6x, isso significa que você terá de preencher os campos com os números que multiplicados um pelo outro dão como resultado 6. Ou seja, os algarismos que você tem de alocar nos quadradinhos são 2 e 3. Se o número pequeno indicado for 120x, com três quadradinhos, eles serão um 6, um 5 e um 4 (6x5x4).

3. Para escolher os números, clique sobre cada quadradinho com o botão esquerdo do mouse.

4. Como no Sudoku, não se pode ter dois algarismos iguais na mesma linha (horizontal) ou coluna (vertical).

5. Se após preencher todos os quadradinhos, você não receber os parabéns (Congratulations!), é porque você errou. Se acertou, pode comemorar e se preparar para o dia seguinte. Amanhã tem mais!

Kenken: desafio de matemática nº 295

Kenken: desafio de matemática nº 296

Kenken: desafio de matemática nº 297

 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Cracolândia não acabou, apenas mudou de lugar, diz promotor

Para Arthur Pinto Filho, do Ministério Público de SP, ação de Alckmin e Dória não resolve problema da dependência de drogas e só faz com que usuários se espalhem pela região: 'como se fala que a Cracolândia acabou? É uma frase que não tem pé na realidade'