Aula Pública Opera Mundi: Qual é o futuro da saúde global?

No terceiro episódio da terceira temporada, Deisy Ventura, professora da USP, discute interesses e contradições no sistema global de saúde

No terceiro episódio da terceira temporada da Aula Pública Opera Mundi, Deisy Ventura, professora de Relações Internacionais da USP, discute o futuro da saúde global.

Para a especialista em direito internacional, interesses privados e direitos humanos irão polarizar a disputa pelos sistemas de saúde ao redor do mundo.

Reprodução


Assista ao primeiro programa: Marcelo Godoy quem ensinou tortura aos militares brasileiros?
Assista ao segundo episódio: Breno Altman - palestinos têm direito à insurreição?


"O futuro da saúde está em disputa no plano internacional. Nos próximos anos, atores políticos e movimentos sociais serão mobilizados a discutir os processos de privatização, redução de orçamento da saúde, sucateamento e internacionalização da saúde. Essa disputa será dura e estará em torno de dois interesses: de um lado, direitos sociais e humanos e, do outro, interesses econômicos", afirma Deisy Ventura.

Assista ao primeiro bloco da Aula Pública Opera Mundi Deisy Ventura: qual é o futuro da saúde global?


No segundo bloco, Deisy Ventura responde a pergunta da jornalista Rachel Costa


No terceiro bloco, Deisy Ventura responde as perguntas do público da Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo


As Aulas Públicas são resultado de uma parceria entre Opera Mundi e a TVT. A primeira e a segunda temporadas das Aulas Públicas, produzidas em 2013 e 2014 em parceria com a TV Unesp, já foram exibidas em sinal aberto e estão disponíveis na internet no canal do YouTube de Opera Mundi.

Congresso chileno aprova lei que estabelece prisão para empresários envolvidos em formação de cartel

Justiça chilena proíbe mulher que fumou maconha durante gravidez de amamentar bebê

Estudo indica que Zika vírus está cada vez mais eficiente para infectar humanos

 

Leia Mais



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas