Aula Pública Opera Mundi: Qual é a imagem do Brasil no exterior?

No quinto episódio da terceira temporada, o jornalista Daniel Buarque analisa as mudanças do olhar estrangeiro sobre o Brasil

No quinto episódio da terceira temporada da Aula Pública, Daniel Buarque discute qual é a imagem do Brasil no exterior. Para o jornalista e mestre pelo King's College de Londres, com a série de mudanças econômicas e sociais nos últimos anos, o país não é mais visto como "exótico e desconhecido" pela comunidade internacional.

"O Brasil passou a ter visibilidade e ser entendido por ter sua própria cultura, sociedade e economia”, diz Daniel, que utiliza reportagens sobre o Brasil na imprensa estrangeira como objeto de pesquisa.

Reprodução

Episódio foi gravado em parceria com a TVT


Assista aos episódios da terceira temporada:
Marcelo Godoy: quem ensinou os militares brasileiros a torturar?
Breno Altman: palestinos têm direito à insurreição?
Deisy Ventura: qual o futuro da saúde global?
Magali Cunha: por que o mundo precisa combater a intolerância religiosa?


Autor do livro "Brazil, um país do presente" (Alameda, 379 pgs, R$52,00), Daniel acredita que, para além dos estereótipos, o olhar estrangeiro passou a enxergar o Brasil como um país de identidade própria.

Além dos impactos da Copa do Mundo e das Olimpíadas para o Brasil, Daniel também analisa se a crise vivida pelo país em 2015 pode alterar a imagem do país no exterior.

Assista ao primeiro bloco da Aula Pública Opera Mundi com Daniel Buarque: Qual é a imagem do Brasil no exterior? 

 

No segundo bloco, Daniel Buarque responde a pergunta da jornalista Patrícia Dichtchekenian


No terceiro bloco, Daniel Buarque responde perguntas do público da Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo

Aula Pública Opera Mundi: Qual é o futuro da saúde global?

Aula Pública Opera Mundi: por que o mundo precisa combater a intolerância religiosa?

Aula Pública Opera Mundi: 3ª temporada

 


Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas