Aula Pública Opera Mundi: como deve ser governo de Evo com a onda conservadora na América Latina?

No oitavo episódio da quarta temporada da Aula Pública, Everaldo Andrade analisa os desafios do projeto de desenvolvimento boliviano

Opera Mundi TV

Na Aula Pública, Everaldo Andrade discute o futuro do governo boliviano


No oitavo episódio da quarta temporada da Aula Pública, Everaldo Andrade, doutor em História Econômica e professor da USP, discute os desafios do projeto de desenvolvimento boliviano diante da nova conjuntura sul-americana.

Autor do livro 'Bolívia: Democracia e Revolução' (Alameda, 340 pgs., R$48), Everaldo acredita que o governo Evo Morales construiu uma identidade política com a maioria da população do país. Nessa perspectiva, é fundamental entender as condições que garantiram o crescimento econômico e social nos últimos 10 anos e que agora estão sob ameaça pela chamada 'onda conservadora' na América Latina.

"A ascensão de Evo Morales é a expressão de uma luta popular que conseguiu mudar os rumos da Bolívia. Desde 2006, o que se busca é encontrar um eixo de desenvolvimento que benefecia a nação e o povo boliviano. Além disso, Evo conseguiu construir uma identidade política e étnica com a maioria da população. Agora essa dinâmica política construída na última década pode ser modificada pela chamada onda conservadora. Mas precisamos debater exatamente o que é esse movimento que questiona as políticas de inclusão social na América Latina", analisa Everaldo.

Assista ao primeiro bloco da Aula Pública com Everaldo Andrade: como deve ser o governo Evo Morales com a onda conservadora na América Latina?



Na segunda parte da Aula Pública, Everaldo Andrade responde perguntas do público da Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo

Na Venezuela, Evo Morales se reúne com Nicolás Maduro para falar sobre golpe no Brasil

TVT exibe nesta quinta, às 20h, Aula Pública Opera Mundi sobre cadeias globais de valor

Evo Morales expressa indignação por 'golpe congressista e judicial' no Brasil

 

Leia Mais



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas