Aula Pública Opera Mundi: qual a importância da bibliodiversidade para a democracia?

No novo episódio da Aula Pública, Haroldo Ceravolo Sereza, doutor em Letras pelas USP, discute a importância do equilíbrio no mercado de livros para democracia

Opera Mundi TV

Na Aula Pública, Haroldo Sereza discute o conceito de bibliodiversidade


No novo episódio da Aula Pública, Haroldo Ceravolo Sereza, doutor em Letras pela USP e editor-chefe de Opera Mundi, discute a importância da pluralidade de livros para a construção do conhecimento. Para o especialista, o conceito de bibliodiversidade representa a necessidade de equilíbrio no mercado de livros para que diferentes vozes participem do debate na sociedade.

"Devemos pensar em bibliodiversidade como um ambiente econômico e cultural propício para o desenvolvimento de várias coleções, editoras e autores diversos, que representem democraticamente as pessoas que irão fazer, escrever e, sobretudo, ler os livros. Ou seja, será que o mercado editorial de um certo país favorece o debate livre, democrático e igualitário entre as pessoas ou está conduzindo um certo pensamento numa certa direção que exclui a participação de outras pessoas?", questiona Haroldo.

Assista ao primeiro bloco da Aula Pública com Haroldo Ceravolo Sereza: qual a importância da bibliodiversidade para a democracia?


No segundo bloco da Aula Pública, Sereza responde perguntas do público da UFABC, em São Bernardo do Campo
 

Aula Pública: qual é a relação da crise brasileira com os movimentos sociais pelo mundo?

Aula Pública Opera Mundi: o que o fim da União Soviética representou para a esquerda?

Aula Pública Opera Mundi: a integração na América do Sul está em risco?

 

Leia Mais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Primeiro-ministro do Paquistão renuncia

Nawaz Sharif deixa cargo depois de ter sido inabilitado pela corte suprema do país por causa de denúncias de corrupção; ele e sua família estão envolvidos no escândalo Panama Papers de empresas em paraísos fiscais