Aula Pública Opera Mundi: qual a importância da bibliodiversidade para a democracia?

No novo episódio da Aula Pública, Haroldo Ceravolo Sereza, doutor em Letras pelas USP, discute a importância do equilíbrio no mercado de livros para democracia

Opera Mundi TV

Na Aula Pública, Haroldo Sereza discute o conceito de bibliodiversidade


No novo episódio da Aula Pública, Haroldo Ceravolo Sereza, doutor em Letras pela USP e editor-chefe de Opera Mundi, discute a importância da pluralidade de livros para a construção do conhecimento. Para o especialista, o conceito de bibliodiversidade representa a necessidade de equilíbrio no mercado de livros para que diferentes vozes participem do debate na sociedade.

"Devemos pensar em bibliodiversidade como um ambiente econômico e cultural propício para o desenvolvimento de várias coleções, editoras e autores diversos, que representem democraticamente as pessoas que irão fazer, escrever e, sobretudo, ler os livros. Ou seja, será que o mercado editorial de um certo país favorece o debate livre, democrático e igualitário entre as pessoas ou está conduzindo um certo pensamento numa certa direção que exclui a participação de outras pessoas?", questiona Haroldo.

Assista ao primeiro bloco da Aula Pública com Haroldo Ceravolo Sereza: qual a importância da bibliodiversidade para a democracia?


No segundo bloco da Aula Pública, Sereza responde perguntas do público da UFABC, em São Bernardo do Campo
 

Aula Pública: qual é a relação da crise brasileira com os movimentos sociais pelo mundo?

Aula Pública Opera Mundi: o que o fim da União Soviética representou para a esquerda?

Aula Pública Opera Mundi: a integração na América do Sul está em risco?

 

Leia Mais



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas