Encontro com Kabengele Munanga aborda trajetória do antropólogo congolês; assista

Munanga também é ativista dos direitos da população negra; nesse encontro, ele falará de sua trajetória para abordar situação racial no Brasil

Em evento na USP nesta quarta-feira (28/09), a história do antropólogo congolês, professor titular da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) e um dos maiores especialistas da presença africana no Brasil, Kabengele Munanga, será o tema inicial para uma discussão sobre as relações étnico-raciais no Brasil, racismo e antropologia da população afro-brasileira.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Em Trajetória entre Culturas: Kabengele Munanga, um intérprete africano no Brasil, o antropólogo falará sobre sua infância no Zaire — atual República Democrática do Congo —, a graduação no país e o doutorado que, iniciado na Bélgica, concluiu na USP.

Na Assembleia Geral da ONU, Cuba rechaça golpe no Brasil e expressa solidariedade a Dilma

Opinião: José Serra, um chanceler 'decorativo'

Encontro com Kabengele Munanga aborda trajetória do antropólogo congolês; assista

 

Ativista pelos direitos da população negra no Brasil, Kabengele é defensor das cotas raciais em universidades e faz parte do Grupo de Pesquisa Diálogos Interculturais do IEA (Instituto de Estudos Avançados) da USP, que organizou o encontro desta quarta.

Também participarão da discussão a linguista Ligia Fonseca Ferreira e a cientista social Maura Véras. O encontro foi organizado por elas juntamente com a psicóloga e coordenadora do grupo de pesquisa da IEA Sylvia Dantas, a cientista social Adriana Capuano de Oliveira e o linguista Paulo Farah.

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Primeiro-ministro do Paquistão renuncia

Nawaz Sharif deixa cargo depois de ter sido inabilitado pela corte suprema do país por causa de denúncias de corrupção; ele e sua família estão envolvidos no escândalo Panama Papers de empresas em paraísos fiscais