Acabar com o racismo não é responsabilidade apenas da população negra, diz Djamila Ribeiro; assista à Aula Pública

No novo episódio, secretaria-adjunta de Direitos Humanos da gestão Haddad discute violência e políticas públicas para frear o racismo

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Acabar com o racismo não é responsabilidade apenas da população negra. Quando a sociedade compreende os mecanismos de exclusão, ela jamais se posiciona contra políticas afirmativas. Para uma avanço civilatório nas questões de igualdade sociail, devemos incorporar o debate na agenda pública. Esta é a análise de Djamila Ribeiro, mestre em Filosofia pela Unifesp, ao discutir Como o Mundo Pode Superar o Racismo, na Aula Pública Opera Mundi.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi


Para Djamila, o poder público deve se sensibilizar e criar políticas efetivas de combate ao racismo. No plano individual, afirma, dialogar com os movimentos negros e não aceitar manifestações racistas são caminhos para uma nova abordagem contra as discriminações.

"Se o racismo é um elemento que estrutura todas as relações sociais e está presente em tudo, devemos pensar essas questões quando desenvolvemos políticas de educação, saúde, habitação e todas as outras. A questão racial deve perpassar todas as políticas, não sendo apenas políticas localizadas e especiais. Precisamos entender que, quando a gente melhora a vida da população negra, estamos melhorando a vida da cidade", afirma Djamila.

Opera Mundi TV

Djamila Ribeiro discute racismo e violência contra população negra

A pesquisadora também explica que devemos assumir responsabilidades na construção da cidadania. "Se você é gestor público, deve sensibilizar as suas ações na perspectiva da questão racial. Se você é professor, deve discutir o assunto na sala de aula. Se você escuta uma piada racista, é preciso pontuar. Ou seja, desde o microespaço -  onde experimentamos as relações sociais - até as mudanças institucionais, devemos assumir a responsabilidade e questionar: que tipo de sociedade queremos?", analisa.
 

Consciência Negra: 'Não podemos aceitar um Estado racista'

Canadá: Ativista negra será primeira mulher a estampar nota de 10 dólares canadenses

Aula Pública com Lidiane Rodrigues: o que trajetória de Dilma Rousseff ensina sobre gênero e política no Brasil?

 

Assista ao primeiro bloco da Aula Pública com Djamila Ribeiro: como o mundo deve frear o racismo


No segundo bloco, Djamila Ribeiro responde perguntas do público da Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo



Aula Pública Opera Mundi:
*Coordenação-geral: Haroldo Ceravolo Sereza | Produção: Dodô Calixto | Edição de vídeo: Daniela Stéfano

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Espanha debate exumação dos restos mortais de Franco

Mausoléu do ex-ditador integra monumento para homenagear mortos da Guerra Civil e virou destino de peregrinação de extremistas de direita; governo quer transformar memorial num local de reconciliação nacional