Aula Pública Opera Mundi: por que cresce a precarização de empregos no mundo?

Ruy Braga explica as razões do capital no ataque a direitos conquistados por gerações de trabalhadores, no Brasil e em outros países

Opera Mundi TV

Na Aula Pública, Ruy Braga explica como a precarização do trabalho favorece a burguesia

No novo episódio da Aula Pública, Ruy Braga , professor de Sociologia da USP, discute o avanço dos processos de precarização do trabalho vem crescendo no mundo. Autor dos livros 'A Pulsão Plebeia' (Alameda, 358 pgs., R$40,00) e 'A Política do Precariado' (Boitempo, 264 pgs., R$38,00), Braga explica como a exploração econômica dos trabalhadores constitui uma das marcas da economia capitalista.



"O objetivo é avançar contra as conquistas, os direitos e a cidadania que foram acumulados nas gerações passadas pela sociedade. Quando você tem aumento do desemprego e a diminuição dos direitos trabalhistas, a força de trabalho fica mais barata", explica o professor. Nessa situação, "há mais condições de acumular capital - assim, pensam alguns setores da economia brasileira", complementa.

Assista ao primeiro bloco da Aula Púbilca com Ruy Braga: por que cresce a precarização dos empregos no mundo?

No segundo bloco da Aula Pública, Ruy Braga responde perguntas do público da Universidade Metodista, em São Bernardo do Campo



Aula Pública Opera Mundi:
Produção e texto: Dodô Calixto | Edição de vídeo: Daniela Stéfano
A Aula Pública Opera Mundi é um projeto de coprodução entre Opera Mundi, TVT e universidades parceiras.

Aula Pública Opera Mundi: como democratizar o livro na América Latina?

Aula Pública Opera Mundi: como deve ser a gestão da água no mundo?

ONU alerta para catástrofe humanitária por causa da batalha por Mossul

 

Leia Mais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

História Agrária da Revolução Cubana

História Agrária da Revolução Cubana
Este livro é um estudo sobre a saga da reforma agrária numa sociedade de origem colonial presa ao círculo vicioso do subdesenvolvimento. Fundamentado em farta documentação e entrevistas com técnicos e lideranças que participaram diretamente do processo histórico cubano, o trabalho reconstitui as barreiras encontradas pela revolução liderada por Fidel Castro para superar as estruturas materiais de uma economia de tipo colonial.
Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias