Raúl Castro lidera última guarda de honra a Fidel no Memorial José Martí

Presidente cubano se juntou a membros do batalhão de cerimônias das Forças Armadas Revolucionárias; ontem, ele liderou tributo diante de cinzas do irmão

O presidente de Cuba, Raúl Castro, participou nesta terça-feira (29/11) da última guarda de honra em tributo a Fidel Castro, comandante da Revolução Cubana e seu irmão, morto na última sexta-feira (25/11) aos 90 anos de idade.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Raúl montou guarda no Memorial José Martí, onde milhares de cubanas e cubanos prestaram suas homenagens ao líder revolucionário entre ontem e hoje. A visitação foi encerrada às 12h de Havana (15h em Brasília), e o presidente, acompanhado de três membros do governo cubano, se juntou aos membros do batalhão de cerimônias das Forças Armadas Revolucionárias que faziam a última guarda do local.

Cubadebate

Raúl Castro monta última de guarda de honra em homenagem a Fidel Castro, no Memorial José Martí

Raúl também havia homenageado o irmão na segunda-feira (28/11), no salão Granma do Ministério das Forças Armadas Revolucionárias, onde estão as cinzas de Fidel.

Após a voz de “Firmes!”, proferida por Raúl, general-de-exército, houve um minuto de silêncio em honra ao líder cubano.
 

Fidel, por Eduardo Galeano

Mande um beijo a Fidel

As dez formas mais curiosas que a CIA usou para tentar matar Fidel Castro

 

Granma

Raúl Castro lidera homenagem diante das cinzas de Fidel

Raúl foi o primeiro a caminhar e depositar sua flor branca ao lado da urna. Logo depois, ele assinou o livro que contém o juramento de fidelidade ao conceito de Revolução expresso por Fidel Castro em 1º de maio de 2000.

Em seguida, prestaram honras os comandantes da Revolução Ramiro Valdés Menéndez e Guillermo García Frías, assim como membros do Bureau Político do Comitê Central do Partido Comunista cubano.

Na quarta-feira (30/11), uma caravana fúnebre com as cinzas de Fidel parte da capital até a província de Santiago, no extremo leste da ilha, onde o líder cubano nasceu. O trajeto relembra a Caravana da Liberdade, de 1959, que marcou a ascensão ao poder do movimento revolucionário. O ato final acontece no próximo domingo (4/12).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias