Hollande não tentará reeleição

Deutsche Welle
Presidente francês afirma que não buscará um segundo mandato na eleição de 2017 por ter 'consciência dos riscos' de sua candidatura. Anúncio abre caminho para candidato alternativo da esquerda.

O presidente da França, François Hollande, anunciou nesta quinta-feira (1º/12) que não vai concorrer à reeleição no pleito presidencial de abril e maio de 2017. A manobra surpreendente abre caminho para um candidato alternativo da esquerda.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Tenho consciência dos riscos que entrar um caminho que não reuniria apoio suficiente implicaria. Portanto, decidi não ser candidato à eleição presidencial, decidi não renovar meu mandato", disse o socialista em uma declaração televisiva de dez minutos. Um dos mais impopulares das últimas décadas, ele será o primeiro presidente francês da chamada 5ª República, criada em 1958, a não tentar a reeleição.

Reuters

O presidente da França, François Hollande, durante pronunciamento nesta quinta-feira

Ao discursar, o chefe de Estado falou sobre os desafios enfrentados pelo país, desde o populismo de extrema direita até o terrorismo jihadista, e defendeu sua gestão em aspectos como o combate ao desemprego, o meio ambiente e a defesa das liberdades.

Hollande assegurou que, acima de suas ambições está o interesse do país. "A experiência me forneceu a humildade necessária em meu trabalho", afirmou o presidente, eleito em maio de 2012. "Servi ao país por mais de quatro anos e meio com sinceridade e honestidade."
 

Após vitória de Trump, relatos de agressões contra minorias nos EUA se propagam nas redes sociais

Derrota precipita fim da vida política de Sarkozy

François Hollande lembra Fidel Castro como 'encarnação da Revolução Cubana'

 

O anúncio coincidiu com o primeiro dia no qual se podiam apresentar as candidaturas para as primárias da esquerda, às quais já se postulou o ex-ministro de Economia, Arnaud Montebourg, representante da ala mais esquerdista do Partido Socialista.

Pesquisas recentes vinham indicando resultados eleitorais ruins para Hollande, que apareceu atrás do candidato da centro-direita François Fillon, da ultradireitista Marine le Pen e de dois candidatos do campo da esquerda, o moderado Emmanuel Macron e o radical Jean-Luc Mélenchon.

Hollande disse que focaria agora em conduzir o país pelos próximos meses, até o primeiro e o segundo turno da eleição presidencial, a serem realizados em 23 de abril e 7 de maio.

LPF/efe/rtr



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas