Itália descobre central de espionagem contra políticos e instituições públicas do país

Entre os políticos que foram alvo da rede estão os ex-premiês Matteo Renzi e Mario Monti e o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, além de ex-ministro e ex-prefeito de Turim

A polícia italiana desmantelou nesta terça-feira (10/01) uma central que espionava instituições públicas, especialistas e empresários do país, além de políticos, como o ex-primeiro-ministro Matteo Renzi.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Outros políticos que estavam na mira das espionagens seriam Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu, o também ex-premiê Mario Monti, o ex-ministro Ignazio La Russa e o ex-prefeito de Turim Piero Fassino.

Computadores da Câmara dos Deputados, do Senado e até do cardeal Gianfranco Ravasi, que desde 2007 preside o Pontifício Conselho para a Cultura, também teriam sido hackeados. De acordo com as autoridades que conduziram a operação, sob comando da Promotoria de Roma, a central recolhia dados e informações sigilosas há anos das personalidades italianas.

Agência Efe

Imagem da Polícia Nacional italiana mostra operação que desmantelou rede de espionagem contra políticos e instituições públicas no país

A vitória moral da esquerda italiana no referendo sobre reforma constitucional

Justiça italiana ouve primeira testemunha em processo contra ex-agentes da ditadura brasileira

Paolo Gentiloni toma posse como novo primeiro-ministro da Itália

 

A operação deflagrada hoje prendeu duas pessoas, sendo um engenheiro nuclear, Giulio Occhionero, de 45 anos, e sua irmã, Francesca Maria, ambos residentes em Londres, mas com domicílio em Roma e conhecidos do setor financeiro da capital italiana. Eles estão sendo acusados de apropriação de informações de segurança do Estado, acesso abusivo ao sistema informático, com agravante de interceptação ilícita de comunicações.

De acordo com o Centro Nacional Anticrime Informático da Itália, a dupla gerenciava uma rede botnet infectada com um malware chamado "Eyepyramid", pelo qual recolhiam informações sigilosas.



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas