Moscou nega ter 'informações comprometedoras' sobre Trump; presidente eleito nega 'chantagem' russa

Imprensa norte-americana publicou suposto dossiê que afirma que o governo russo tem usado influência sobre republicano; relatório é 'absolutamente falso e fabricado', diz porta-voz do Kremlin

O Kremlin classificou nesta quarta-feira (11/01) como “absolutamente falsas” as informações divulgadas na noite de terça-feira (10/01) pela imprensa norte-americana de que Moscou obteve “informações comprometedoras” sobre o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, e depois o chantageou para que ele favorecesse a Rússia.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"É absolutamente falso, fabricado" por aqueles que têm interesse em "prejudicar as relações bilaterais" entre Rússia e EUA, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

"Há quem instigue esta histeria para sustentar essa caça às bruxas. A propósito, o próprio presidente Trump definiu essa mentira como a continuação da caça às bruxas", ressaltou o porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, a quem os serviços de inteligência dos EUA acusam de interferir nas eleições presidenciais norte-americanas em favor do republicano.

"O Kremlin não se dedica a reunir informações comprometedoras", insistiu o porta-voz ao assegurar que Moscou também não dispõe de dados que possam causar prejuízo a Hillary Clinton, que foi candidata à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata.

Agência Efe

O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, negou suposta 'chantagem' russa a partir de 'informações comprometedoras' do Kremlin sobre ele

Melhoria das relações entre Rússia e EUA terá impacto positivo sobre crise síria, diz Assad

Rússia está 'cansada' de 'acusações amadoras e infundadas' dos EUA sobre ciberataques, diz porta-voz do Kremlin

Obama pede empenho pela democracia em discurso de despedida

 

Na terça-feira (10/01), o site Buzzfeed publicou um suposto dossiê com informações coletadas por um ex-agente de inteligência britânico com fontes russas que indicaram que Moscou tem “informações comprometedoras” sobre Trump, que usou para chantagear o republicano. O site indicou que a veracidade do suposto relatório e das informações que ele contém não pôde ser verificada. Segundo a CNN, o presidente dos EUA, Barack Obama, teria recebido um resumo deste dossiê, entregue a ele pelo FBI.

As informações em poder da Rússia incluiriam provas recolhidas pelos serviços de inteligência russos sobre atividades sexuais de Trump em um hotel de Moscou. Segundo o documento, Trump teria contratado prostitutas para participar de orgias na suíte presidencial do Hotel Ritz Carlton, na qual já se hospedaram o atual presidente dos EUA e a primeira-dama, Michelle Obama, durante uma visita à capital russa.

O relatório citado também detalha que as autoridades russas ofereceram a Trump negócios imobiliários relacionados especialmente com a Copa Mundial de 2018, embora o presidente eleito tenha rejeitado. O que Trump e seus assessores teriam de fato aceitado foram informações sobre os democratas e Hillary Clinton, que a inteligência russa teria obtido através de ciberataques.

O próprio Donald Trump negou tais alegações, afirmando se tratar de “notícia falsa”. “A Rússia nunca tentou usar qualquer influência sobre mim. NÃO TENHO NADA A VER COM A RÚSSIA – NENHUM ACORDO, NENHUM EMPRÉSTIMO, NADA!”, escreveu o futuro presidente dos EUA em seu Twitter. 

 

*Com Agência Efe

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Meu primeiro festival pornô

No PopPorn, festival de pornografia alternativa que acontece todos os anos em São Paulo desde 2010, repórter aprende sobre shibari e BSDM, acompanha performances sexuais e aprende como fazer seu próprio pornô