Em entrevista à imprensa britânica, Trump diz que Otan é 'obsoleta' e que Brexit será 'uma coisa ótima'

Presidente eleito dos EUA falou ao jornal 'The Sunday Times' que Otan não está preparada para combater o terrorismo e que política de refugiados de Angela Merkel, chanceler da Alemanha, foi 'erro catastrófico'

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Às vésperas de assumir a Casa Branca, o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) é "obsoleta", com que concordou o governo da Rússia, que critica a expansão da aliança no leste europeu.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A declaração foi dada ao jornal dominical britânico The Sunday Times em entrevista publicada neste domingo (15/01) e voltou a levantar temores sobre um possível desmonte na aliança militar entre EUA e países europeus. Segundo o magnata republicano, a Otan não está preparada para combater o "terrorismo islâmico".

"A Otan é obsoleta, e seus membros se apoiam dos Estados Unidos, não pagam aquilo que deveriam pagar", disse Trump. Durante a campanha eleitoral, o presidente eleito prometeu exigir mais investimentos dos outros países da aliança e afirmou que "não se sentiria obrigado a defender seus parceiros", contrariando os tratados da entidade.

A perspectiva de uma mudança de postura de Washington em relação à Otan preocupa sobretudo às nações bálticas, especialmente após a anexação da Crimeia por Moscou e da guerra civil com separatistas pró-Rússia no leste da Ucrânia. Recentemente, a organização reforçou suas tropas na Letônia, ex-república soviética que, segundo um estudo do think tank norte-americano Rand Corporation, poderia ser conquistada em menos de 60 horas.

Por sua vez, o Kremlin não esconde a irritação pelo avanço da aliança na Europa Oriental, chegando cada vez mais perto de suas fronteiras. Além de já estar nos países bálticos, que fazem divisa com a Rússia, a organização corteja há anos a Ucrânia, em uma aproximação que está no centro da crise que levou à anexação da Crimeia.

Agência Efe

O presidente eleito dos EUA, Donald Trump: 'A Otan é obsoleta, e seus membros se apoiam dos Estados Unidos, não pagam aquilo que deveriam pagar'

A ex-península ucraniana fica na costa norte do Mar Negro, onde está instalada uma das mais importantes unidades militares da Marinha russa, a Frota do Mar Negro. "A Otan é verdadeiramente um anacronismo, estamos de acordo sobre isso. Há tempos exprimimos nossa visão sobre essa organização, que tem o confronto como objetivo", afirmou nesta segunda-feira (16/01) o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

Já o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, disse que as declarações de Trump causam "inquietação". Ainda assim, o futuro presidente alemão – ele assumirá o cargo em fevereiro – lembrou que a postura do magnata vai de encontro ao que pensa o próximo secretário de Defesa dos EUA, James Mattis.
 

O que Obama representou e o que realizou

'Acho que foi a Rússia', diz Trump sobre ciberataques em primeira entrevista coletiva como presidente eleito

A eleição de Donald Trump e o fim do neoliberalismo progressista

 

Em sabatina no Senado na semana passada, Mattis garantiu que considera a Otan como "central" para a segurança norte-americana e destacou que a meta do mandatário da Rússia, Vladimir Putin, é "dividir" a aliança militar. "A Otan não é obsoleta, mas sim de grande importância para a Europa e para todos", completou um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha.

Críticas a Angela Merkel e apoio à Brexit

Na mesma entrevista ao Sunday Times, Trump também elogiou o rompimento do Reino Unido com a União Europeia (a chama Brexit, saída britânica) e disse que outros países seguirão o exemplo britânico por causa da política migratória da chanceler da Alemanha, Angela Merkel.

O magnata republicano também acusou Berlim de usar a UE para alcançar seus objetivos. Segundo Trump, Merkel cometeu um "erro catastrófico" ao acolher mais de 1 milhão de solicitantes de refúgio e "aumentar de maneira exponencial" a ameaça terrorista na Europa.

"A União Europeia representa apenas um meio para a Alemanha alcançar seus objetivos. Por isso achei muito inteligente que o Reino Unido tenha decidido sair", disse o presidente eleito, chamando também a Brexit de "uma coisa ótima" e prometendo fazer acordos com o país após a separação.

Nesta terça-feira (17/01), a primeira-ministra britânica, Theresa May, fará um discurso no qual apresentará o plano para o rompimento definitivo entre Londres e Bruxelas. O porta-voz de Merkel, Steffen Seibert, afirmou que a chanceler leu "com interesse" a entrevista de Trump e que espera sua posse para "trabalhar junto" com o magnata.

"O governo e a chanceler têm interesse em uma estreita colaboração com os Estados Unidos", limitou-se a dizer Seibert.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias