Aula Pública com Gilberto Rodrigues: Para que serve a ONU?

Professor de Relações Internacionais explica os desafios do multilateralismo no mundo contemporâneo

A ONU (Organização das Nações Unidas) deve ser analisada por uma perspectiva complexa. Interesses contraditórios coexistem entre países, interferindo diretamente em como a entidade faz a mediação de conflitos. Portanto, análises entusiastas ou pessimistas não conseguem compreender as múltiplas áreas de intervenção da ONU, que tem impacto direto em vários setores ao redor do planeta.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi


Esta é análise de Gilberto Rodrigues, pós-doutor pela Universidade de Notre Dame (EUA) e professor da UFABC, ao discutir Para que serve a ONU, na Aula Pública Opera Mundi.

Clique aqui para assistir a todos os episódios da Aula Pública Opera Mundi

Para o especialista, organismos multilaterais servem para trabalhar com questões que ultrapassam fronteiras e os Estados não conseguem resolver. Portanto, o contexto de criação e os atores envolvidos nas negociações cumprem papel fundamental na abrangência de atuação das Nações Unidas.

Opera Mundi TV

Na Aula Pública, Gilberto Rodrigues explica desdobramentos da atuação da ONU para a geopolítica mundial

"No artigo primeiro de princípios, a ONU explica qual é sua função primordial: manter a paz e a segurança internacional, questões essenciais no contexto de sua criação, ao final da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Ou seja, o objetivo central foi evitar uma nova guerra mundial. O segundo princípio é estabelecer relações de amizade e cooperação entre os Estados Membros, atualmente 193 países", explica Gilberto Rodrigues.

Governo venezuelano exige que Estados Unidos respeite sua soberania

Ministro da Justiça afirma ter parecer favorável a extradição de Battisti

EUA: Procuradoria da Louisiana encerra caso de consultor brasileiro da OEA que havia sido acusado de estupro

 

Assista ao primeiro bloco da Aula Pública com Gilberto Rodrigues: Pra que serve a ONU?


No segundo bloco, Gilberto Rodrigues responde perguntas do público da UFABC, em São Bernardo do Campo



Rodrigues explica a dificuldade em estabelecer consensos frente à pluralidade de interesses e atores políticos na ONU. Mesmo questões humanitárias, como a recente emergência de refugiados, enfrentam resistências para um pacto global.

"A ONU, na sua própria perspectiva, serve para ser uma mediadora entre os países. Então, um dos desafios é garantir a igualdade para que países menores e mais frágeis não fiquem em um segundo plano em relação aos demais, lidando com realismo de que nem todos os Estados são iguais. Eles têm desigualdades culturais, econômicas e territorias, e a ONU tenta compensar essa desigualdade com seus vários órgãos", reitera.

Aula Pública Opera Mundi:
Coordenação: Haroldo Sereza
Produção: Dodô Calixto
Edição de vídeo: Daniela Stéfano

Leia Mais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Inspirada pela Revolução Russa, a Alameda Casa Editorial fez uma seleção de 100 livros com desconto de 20% e frete grátis. São livros que tratam da sociedade capitalista, do mercado de trabalho, do racismo, do pensamento marxista, das grandes depressões econômicas, enfim: do pensamento social que, direta ou indiretamente, foi influenciado pela revolução dos trabalhadores de 1917. Aproveite.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias