Agricultor francês é multado por ajudar migrantes e refugiados a entrar no país

Cédric Herrou jamais se arrependeu de seus atos e criticou o Estado francês por não ajudar os estrangeiros que chegam ao país e não agir para conter a crise humanitária dos refugiados e imigrantes que atravessam o mar Mediterrâneo

O agricultor francês Cédric Herrou foi condenado nesta sexta-feira (10/01) por um tribunal de Nice, no sul da França, a pagar uma multa de três mil euros (cerca de R$ 10 mil reais) por ajudar imigrantes e refugiados africanos a entrar no país desde a Itália e lhes dar abrigo.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Herrou, que se tornou um herói local por auxiliar os imigrantes e refugiados, cultiva oliveiras em sua fazenda perto da fronteira da França com a Itália, nos arredores de uma rota muito usada pelos estrangeiros tentando entrar no país sem passar pelos controles de fronteira.

Seu julgamento incentivou o debate sobre leis francesas sobre imigração, especialmente as que penalizam o auxílio a “entradas ilegais” no país. Herrou, 37 anos, jamais se arrependeu de seus atos e criticou o Estado francês por não ajudar os estrangeiros que chegam ao país e não agir para conter a crise humanitária dos refugiados e imigrantes que atravessam o mar Mediterrâneo para chegar à Europa. 

“Se temos que ir contra a lei para ajudar as pessoas, vamos fazer isso”, disse o agricultor a apoiadores que acompanhavam seu julgamento diante do tribunal. “Nosso papel é ajudar as pessoas a superar perigos, e o perigo é esta fronteira”, afirmou, insistindo que estava agindo por motivação humanitária. Ele já declarou que continuará ajudando estrangeiros que necessitem de auxílio.

Agência Efe

Cédric Herrou ao sair do tribunal em Nice, no sul da França, após ser condenado a pagar uma multa por auxiliar imigrantes a entrar na França

Com 123 mil solicitações, Itália bate recorde em pedidos de asilo e refúgio em 2016

Suprema Corte do Quênia anula fechamento do maior campo de refugiados do mundo

Em derrota para Casa Branca, Justiça dos EUA mantém inválido veto de Trump a refugiados e imigrantes

 

Em outubro, Herrou e um grupo de ativistas ocuparam uma casa pertencente à estatal francesa de ferrovias, a SNCF, e a abriram a cerca de 50 imigrantes e refugiados. Três dias após a abertura da casa, a polícia interviu, evacuou os ocupantes e prendeu o agricultor. 

Ele foi condenado por ajudar estrangeiros a atravessar a fronteira, mas foi inocentado das acusações de auxiliar os imigrantes e refugiados. A promotoria havia pedido que ele fosse condenado a oito meses de prisão. A multa que lhe foi imputada deve ser suspensa pela Justiça da França.

De acordo com a imprensa francesa, Herrou continua abrigando jovens do Sudão e da Eritreia em sua fazenda, e segundo a agência de notícias francesa AFP, há vários casos similares ao do agricultor nas cortes do sul da França.

Agência Efe

Centenas de pessoas foram para a frente do tribunal em Nice para manifestar apoio a Cédric Herrou, condenado a pagar uma multa por auxiliar imigrantes a entrar na França

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias