Esquerda francesa não apresentará candidatura única à Presidência, confirmam Hamon e Mélenchon

Candidatos conversaram, mas descartaram união; ultradireitista Marine Le Pen segue líder nas intenções de voto, mas perderia no segundo turno para Emmanuel Macron e François Fillon, indica pesquisa

Os candidatos à Presidência da França Benoît Hamon, do Partido Socialista, e Jean-Luc Mélenchon, do movimento de esquerda França Insubmissa, descartaram uma candidatura única da esquerda francesa para fazer frente à ultradireitista Marine Le Pen nas eleições marcadas para o fim de abril.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Segundo declarações divulgadas nesta segunda-feira (27/02), os dois políticos se reuniram na sexta-feira (24/02) para conversar sobre a possibilidade de apresentar uma candidatura comum da esquerda para a Presidência francesa. Tal possibilidade se fortaleceu após Yannick Janot, do partido ecologista francês, retirar sua candidatura e se unir à campanha do socialista Hamon na última quinta-feira (23/02).

“A 50 dias do primeiro turno, não é possível sanar as diferenças que, por exemplo, nos separam em torno de temas essenciais como a questão da União Europeia”, disse Mélenchon, acrescentando que ele e Hamon decidiram prosseguir com suas candidaturas próprias e acordaram “um código de respeito mútuo durante a campanha”.

Agência Efe

Benoît Hamon (centro), do Partido Socialista, ao lado de Yannick Jadot, que retirou candidatura e se uniu à campanha socialista, em encontro com sindicalistas no domingo (26/02)

Agricultor francês é multado por ajudar migrantes e refugiados a entrar no país

França: ultradireitista Le Pen é investigada por supostos contratos falsos no Parlamento Europeu

Em nome do 'povo': o que é populismo?

 

Em entrevista à emissora TF1, Hamon confirmou as informações divulgadas por Mélenchon. "Agora a situação é clara", disse o socialista, que convocou o eleitorado de esquerda a votar em sua chapa, que se mantém em quarto lugar nas intenções de voto, segundo pesquisa divulgada pelo jornal francês Le Figaro neste domingo (26/02).

“Me dirijo aos cidadãos de esquerda da França: há quem pense em votar em Emmanuel Macron, há quem pense em votar em Mélenchon... Eu vos digo: ‘Este é um momento histórico’. A esquerda de amanhã já começou a se organizar, a se criar. E eu quero que ela se volte para o que eu chamo de futuro desejável”, disse Hamon, que afirmou que seu projeto de governo se opõe a Macron, do partido Em Marche e ex-ministro de Economia do presidente francês, François Hollande; a François Fillon, do partido direitista Os Republicanos e ex-primeiro-ministro francês; e, especialmente, a Marine Le Pen, da ultradireitista Frente Nacional.

De acordo com a pesquisa do Le Figaro, Marine Le Pen segue em primeiro lugar, com 27% das intenções de voto no primeiro turno da eleição presidencial francesa. Em seguida vêm o centrista Macron, com 25%; Fillon, com 20%; Hamon, com 14%; e Mélenchon, com 10%. Tanto Macron quanto Fillon bateriam a candidata da Frente Nacional no segundo turno, segundo os cenários propostos pela pesquisa: Macron teria 58% contra 42% para Marine Le Pen, e Fillon teria 55% contra 45% para a ultradireitista.



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Milhares participam de Marcha pela Ciência

Protestos contra cortes na área científica propostos pela gestão Trump foram convocados em mais de 500 cidades; em Washington, cerca de 70 mil manifestantes se reúnem em frente à Casa Branca

 

À força, meu querer

Donald Trump e Kim Jong-un combinam guerra ao telefone: 'Duas ogivas de médio alcance. Assim acerta Tóquio, né?' 'Acho que devemos ter mais ousadia. Esse mundo tá muito chato. O Obama nem sabia fazer guerra direito. Coloca mais dois na Coreia, pode ser?'

 

Rafael Braga é condenado a 11 anos de prisão

Único condenado preso no contexto de junho de 2013, Braga estava em regime aberto com uso de tornozeleira quando foi preso por porte de 0,6 g de maconha, 9,3 g de cocaína e um rojão, que lhe foi atribuído pelos policiais que o prenderam

 

Mais Lidas