Morre aos 74 anos o ex-presidente haitiano René Préval, um dos políticos mais influentes do país

Mandatário foi o único presidente do Haiti a conseguir concluir legitimamente os mandatos para os quais foi eleito sem ser vítima de um golpe de Estado ou ter que se exilar em países vizinhos

O ex-presidente do Haiti René Préval morreu nesta sexta-feira (03/03) aos 74 anos em decorrência de um ataque cardíaco. A informação foi confirmada por Fritz Longchamp, ex-integrante de seu gabinete e próximo a sua família. O ex-chefe de Estado, considerado um dos políticos mais influentes do país caribenho, morreu a caminho do hospital.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Nascido em 1943, Préval, agrônomo de profissão, foi o primeiro presidente do Haiti eleito democraticamente a governar o país, o que ocorreu de 1996 a 2001. Em 2006 ele disputou novamente as eleições e ficou até 2011 no cargo.

O mandatário foi o único presidente do país a conseguir concluir legitimamente os mandatos para os quais foi eleito sem ser vítima de um golpe de Estado ou ter que se exilar em países vizinhos desde a queda de Jean-Claude Duvalier, conhecido como "Papa Doc", em 1986.

Wikicommons

René Prevál, durante conferência de doadores para o Haiti, em 2010

Fundador do grupo esquerdista “Honra e respeito à Constituição”, presidiu o comitê dedicado à investigação do paradeiro dos desaparecidos durante a ditadura de Papa Doc e foi primeiro-ministro e ministro do Interior e da Defesa durante o primeiro governo de Jean-Bertrand Aristide, que foi derrubado após oito meses no poder, em 1991.

Jovenel Moïse toma posse como novo presidente do Haiti

'Preferimos pontes a muros', defende presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, em primeira visita a Trump

Brasil tem terceiro pior índice da América Latina de participação de mulheres na Câmara dos Deputados

 

Seu período à frente do país é controverso. Durante seu mandato, um terremoto de sete graus de magnitude devastou o país, deixando mais de 200 mil mortos e a capital do país, Porto Príncipe, completamente destruída. Sua gestão, ao mesmo tempo em que reduziu o desemprego, privatizou diversas empresas governamentais.

Homenagens

O atual presidente haitiano, Jovenel Moïse, lamentou, através de sua conta no Twitter, a morte de René Préval, a quem definiu como um "digno filho do Haiti". “Me inteirei com tristeza da morte do ex-presidente René Prevál. Me prostro diante dos restos deste digno filho do Haiti”, escreveu:

O ex-primeiro-ministro Laurent Lamothe, que ocupou o cargo durante a gestão de Michel Martelly (2011-2016), sucessor de Préval, também lamentou a morte do ex-presidente em sua conta no Instagram.

"O Haiti chora a morte de um grande homem de nossa história e um grande presidente, René Préval", escreveu.

 


Em um comunicado, a União Europeia enviou suas “sinceras condolências às autoridades e ao povo do Haiti pela morte repentina” de Prevál. De acordo com o texto, Prevál foi um homem que “se colocou a serviço do país” e tratou de “fazê-lo progredir pelos difíceis caminhos da democracia e do progresso econômico e social”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

STJ rejeita censura e libera site 'Falha de S.Paulo'

Site fazia paródias do jornal Folha de S.Paulo e está fora do ar desde 2010, quando o processo começou; colegiado entendeu que a proibição, pedida pela Folha, era uma tentativa de censura e fere a irreverência do direito ao entretenimento

 

Brasil, um pária das Relações Internacionais

Angela Merkel, chanceler alemã, é uma das líderes internacionais que visitou América do Sul nos últimos meses sem sequer fazer uma escala em Brasília; no cenário internacional, o 'fora Temer' sempre foi uma realidade