Emmanuel Macron supera Marine Le Pen pela primeira vez em intenções de voto para Presidência da França

Pesquisa divulgada nesta quinta-feira (09/03) indica que candidato de centro-direita venceria candidata ultradireitista no primeiro e no segundo turno; Macron afirmou que, caso seja eleito, buscará indicar uma mulher como primeira-ministra

Emmanuel Macron, candidato do partido de centro-direita En Marche à Presidência da França, superou pela primeira vez Marine Le Pen, da ultradireitista Frente Nacional, na disputa pelo cargo, segundo uma pesquisa de intenção de votos divulgada nesta quinta-feira (09/03).


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Segundo a pesquisa realizada pela empresa Harris Interactive, Macron, que nas últimas semanas recebeu o apoio de figuras centristas e inclusive de personalidades socialistas, conseguiria 26% dos votos no primeiro turno, programado para o dia 23 de abril, seis pontos percentuais a mais que há duas semanas.

Le Pen, líder da extrema-direita e que até agora aparecia em primeiro lugar em todas as pesquisas, vem logo atrás, com 25%, mesmo índice do levantamento divulgado em fevereiro.

Em terceiro lugar está o direitista François Fillon, do partido Os Republicanos, afetado pelo escândalo em que está envolvido há seis semanas por supostamente ter conseguido um emprego fantasma para sua mulher na Assembleia Nacional. Ele perdeu um ponto percentual desde a última sondagem e aparece agora com 20% de intenções de voto.

Agência Efe

Emmanuel Macron, candidato do partido de centro-direita En Marche, supera pela primeira vez Marine Le Pen, da Frente Nacional, em intenções de voto para a presidência da França

Em seguida vêm o socialista Benoît Hamon (13%) e o esquerdista Jean-Luc Mélenchon (12%), que chegaram a se encontrar para discutir uma candidatura comum da esquerda francesa, o que parece ser a única maneira de um dos dois candidatos chegar ao segundo turno. A proposta, entretanto, não avançou, e eles seguem postulando suas candidaturas individualmente.

François Hollande lembra Fidel Castro como 'encarnação da Revolução Cubana'

Fidel Castro e a repressão contra intelectuais

Em nome do 'povo': o que é populismo?

 

Outros candidatos menos conhecidos aparecem bem atrás, com menos de 5% de preferência dos eleitores.

Quanto ao segundo turno, previsto para o dia 7 de maio, a Harris Interactive prevê, como todas as últimas pesquisas, uma ampla vitória de Macron, ex-ministro da Economia do presidente socialista François Hollande.

Macron obteria 65% dos votos (cinco pontos percentuais a mais que em fevereiro), frente à presidente da Frente Nacional, que ficaria com 35% (cinco pontos a menos).

Agência Efe

Marine Le Pen, candidata presidencial da ultradireitista Frente Nacional, passa para segundo lugar em intenções de voto na França

De acordo com outra pesquisa divulgada ontem pela revista L'Obs, 64% dos franceses estão incomodados com a ideia de que Le Pen chegaria ao segundo turno das presidenciais, o que evidencia o potencial de mobilização para impedir que ela chegue ao poder.

Além disso, o avanço de Macron também pode ser relacionado à sua aliança com François Bayrou, líder do partido centrista MoDem e ex-candidato presidencial nas eleições de 2002, 2007 e 2012.

Nesta quarta-feira (08/03), durante as celebrações do Dia Internacional da Mulher, Macron cortejou o apoio das eleitoras francesas e afirmou que, caso se torne presidente do país, irá preferir nomear uma mulher como premiê. “Escolherei o primeiro-ministro mais competente, o mais capaz possível, com o desejo e a vontade de que seja também uma mulher”, declarou.

 

*Com Agência Efe

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias