Cuba finaliza construção do primeiro hotel de luxo de categoria cinco estrelas plus do país; veja fotos

Hotel com 246 quartos será inaugurado em março; prédio histórico de 1910 foi restaurado e mantém fachada original e diversos aspectos arquitetônicos, como pé-direito alto em quartos e suítes

O hotel de luxo Gran Hotel Manzana Kempinski La Habana será inaugurado neste mês em Cuba, divulgou a ACN (Agência Cubana de Notícias) nesta semana. A instalação turística, primeira da categoria cinco estrelas plus no país, foi construída com capital 100% cubano, segundo a agência.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

O hotel, que conta com 246 quartos, funcionará em um prédio histórico, no centro antigo de Havana. O edifício La Manzana de Gómez começou a ser construído em 1890 e só foi concluído na década de 1910, quando se tornou o primeiro centro comercial do país, com mais de 500 lojas e escritórios espalhados por cinco pavimentos. O processo de restauração, iniciado em 2014, manteve a fachada original e diversos aspectos arquitetônicos do prédio, como o pé-direito alto nos quartos e suítes.

Na cobertura, um terraço e uma piscina terão vista para La Habana Vieja, o centro histórico e colonial da cidade. Além disso, o hotel também conta com um spa, restaurante panorâmico e salas de reuniões. Entre os marcos nos arredores estão o Edifício Bacardi, o Museu Nacional de Belas Artes e o bar La Floridita, um dos mais famosos da capital cubana. O Capitólio, O Grande Teatro de Havana e o Paseo del Prado também ficam por perto.

 

O dia em que Fidel Castro mobilizou o New York Times

Revolução Cubana é solidária com Dilma, Lula e Cristina Kirchner, diz Raúl Castro; veja vídeo do discurso

Cuba desenvolve aplicativo de celular sobre sistemas eleitoral e político do país

 

O grupo suíço Kempinski gestionará o hotel, através de um contrato de administração hoteleira com a empresa estatal Gaviota. A construção do hotel foi realizada pela empresa imobiliária Almest e pela associação econômica internacional UCM (União de Construções Militares) – Bouygyes, com projeto pela Restaura, empresa da Oficina do Historiador de Havana, máxima autoridade para a restauração do centro histórico.

Veja algumas fotos do hotel:

Reprodução/Kempinski Hotels



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Milhares participam de Marcha pela Ciência

Protestos contra cortes na área científica propostos pela gestão Trump foram convocados em mais de 500 cidades; em Washington, cerca de 70 mil manifestantes se reúnem em frente à Casa Branca

 

À força, meu querer

Donald Trump e Kim Jong-un combinam guerra ao telefone: 'Duas ogivas de médio alcance. Assim acerta Tóquio, né?' 'Acho que devemos ter mais ousadia. Esse mundo tá muito chato. O Obama nem sabia fazer guerra direito. Coloca mais dois na Coreia, pode ser?'

 

Rafael Braga é condenado a 11 anos de prisão

Único condenado preso no contexto de junho de 2013, Braga estava em regime aberto com uso de tornozeleira quando foi preso por porte de 0,6 g de maconha, 9,3 g de cocaína e um rojão, que lhe foi atribuído pelos policiais que o prenderam

 

Mais Lidas