Turquia ameaça impor sanções à Holanda e diz que vai levar crise diplomática à Corte Europeia de Direitos Humanos

Autoridades holandesas proibiram ministros de Erdogan de realizar comícios junto à comunidade turca no país; Holanda diz que 'não haverá negociação sob ameaças' e que turcos nos Países Baixos são 'cidadãos holandeses'

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ameaçou nesta segunda-feira (13/03) impor sanções contra a Holanda e levar a crise diplomática entre os dois países à Corte Europeia de Direitos Humanos, depois de ministros turcos serem proibidos pelo governo holandês de realizar comícios em Roterdã e Haia.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Na última semana, autoridades holandesas proibiram o chanceler turco, Mevlut Cavusoglu, e a ministra da Família, Fatma Betul Sayan Kaya, de realizar comícios junto à população turca no país em prol da aprovação em um referendo da ampliação dos poderes do presidente da Turquia.

O referendo turco será realizado no dia 16 de abril e ministros do governo Erdogan têm visitado vários países europeus para buscar apoio para a aprovação da medida – cerca de 400 mil pessoas turcas vivem na Holanda, enquanto na Alemanha são 1,5 milhão de eleitores turcos. Na Alemanha, na Suécia e na Áustria algumas cidades proibiram os comícios, citando riscos de segurança e ordem pública e temendo criar tensão entre turcos e curdos que vivem nestes países. 

A Holanda também citou tais razões, assim como devido ao que Haia considera um recrudescimento do autoritarismo na Turquia, especialmente após a tentativa frustrada de golpe militar no país em julho do ano passado. O governo holandês revogou a autorização para o pouso do avião de Cavusoglu e Sayan Kaya chegou a ser escoltada pela polícia até a fronteira da Holanda com a Alemanha.

Desde então, a crise entre Turquia e Europa tem escalado, com Erdogan classificando as autoridades holandesas de “remanescentes do nazismo” e acusando Angela Merkel, chanceler da Alemanha, de “apoiar terroristas” após a líder alemã manifestar seu apoio a Haia.

Agência Efe

Pessoas turcas protestaram contra a Holanda diante do consulado do país em Istambul neste domingo (12/03)

Em entrevista a uma emissora de TV turca, Erdogan disse nesta segunda-feira que irá impor “quaisquer sanções diplomáticas que tivermos” e “responsabilizar rapidamente a Holanda” por proibir os ministros turcos de atuar no país.

“Eles [a Holanda] usam a lei internacional quando lhes apetece, eles inventam desculpas para isso. Também iremos à Corte Europeia de Direitos Humanos. Nossos amigos estão cuidando das preparações necessárias no momento”, disse o presidente turco.

Erdogan encaminha referendo sobre reforma constitucional

Erdogan acusa Alemanha de 'práticas nazistas'

Turquia volta a desafiar países da UE

 

Agência Efe

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, em evento em Istambul neste domingo (12/03)

A Turquia também convocou o enviado holandês em Ancara para esclarecimentos sobre a proibição e a ação da polícia neste sábado (11/03) contra manifestantes turcos diante do consulado do país em Roterdã, que foram reprimidos com jatos d’água e agredidos com cassetetes, segundo a agência de notícias Reuters.

Holanda adverte que 'não haverá negociações sob ameaças' da Turquia

O primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, advertiu nesta segunda-feira (13/03) às autoridades turcas que não "haverá negociações sob ameaças" para resolver a crise diplomática e lembrou a Ancara que os turcos dos Países Baixos são "cidadãos holandeses".

"Até que as ameaças do governo turco não cheguem ao fim não haverá negociações para resolver este conflito", acrescentou Rutte em entrevista coletiva prévia a um debate eleitoral.

Quanto às acusações de utilizar esta crise com Ancara para ganhar apoios nas eleições que acontecem na quarta-feira (14/03) na Holanda, o primeiro-ministro só afirmou que não acredita que a "Turquia queira interferir" no pleito holandês.

Agência Efe

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, enfrenta crise com a Turquia às vésperas de eleições gerais na Holanda

Rutte disse estar "muito feliz" com o apoio "muito positivo" da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, no conflito diplomático com a Turquia.

Merkel disse que a Holanda tem seu "apoio e solidariedade" e criticou as comparações dos holandeses com os nazistas, que rotulou de "totalmente inapropriadas".

 

*Com Agência Efe



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas