Alemanha celebra 'vitória para a Europa'

Deutsche Welle
Vice de Merkel afirma que possível resultado eleitoral na Holanda é um bom sinal. Chanceler federal alemã liga para premiê holandês para parabenizá-lo. Eleição era tida como termômetro do populismo de direita na Europa

Após as pesquisas de boca de urna indicarem que os holandeses frearam o populismo de direita nas eleições legislativas, o vice-chanceler federal da Alemanha e ministro do Exterior, Sigmar Gabriel, classificou nesta quarta-feira (15/03) o possível resultado como "uma vitória para a Europa".


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Segundo as sondagens divulgadas com o fechamento das urnas, o Partido Popular para a Liberdade e Democracia (VVD), do primeiro-ministro Mark Rutte, terá o maior número de cadeiras no Parlamento da Holanda. A legenda ficaria à frente dos populistas de direita, com 12 cadeiras a mais.

"É um bom sinal que um candidato de extrema direita como Geert Wilders não tenha ficado à frente nas eleições", afirmou Gabriel durante um evento do Partido Social-Democrata (SPD). O vice de Angela Merkel disse ainda que está otimista em relação a uma derrota da candidata da extrema direita Marine Le Pen nas eleições à presidência da França.

O porta-voz da chanceler federal, Steffen Seibert, afirmou que Merkel telefonou para Rutte para parabenizá-lo. A líder alemã teria expressado a alegria de poder continuar o trabalho em conjunto com o premiê do país vizinho.

As eleições holandesas foram acompanhadas com atenção na Europa – como um teste do sentimento nacionalista e do crescente populismo em ano de eleições igualmente importantes na França e na Alemanha, maiores economias da União Europeia.

Reuters/D. Martinez

Holandeses foram às urnas escolher novo Parlamento

Extrema-direita europeia testa força eleitoral na Holanda nesta semana

Turquia ameaça impor sanções à Holanda e diz que vai levar crise diplomática à Corte Europeia de Direitos Humanos

Boca de urna indica vitória de governistas na Holanda; extrema-direita fica em segundo com outros dois partidos

 

A França escolhe seu próximo presidente em abril, e a populista de direita Marine Le Pen deve estar no segundo turno, marcado para maio. Em setembro, vão às urnas os alemães, e o partido eurocético Alternativa para a Alemanha, que atacou a política migratória de Merkel, pode conquistar suas primeiras cadeiras no Parlamento.

Vitória da Holanda

O candidato do SPD à chancelaria federal, Martin Schulz, também comemorou o provável resultado das eleições holandesas. "É uma ótima notícia para a Europa e para a Holanda", diz o ex-presidente do Parlamento Europeu, que estava no evento do partido junto com Gabriel.

Schulz afirmou ainda que o resultado revela que a maioria dos holandeses recusou "a demagogia de Wilders e seu posicionamento inexprimível contra outros grupos étnicos".

O chefe de gabinete da chancelaria alemã, Peter Altmaier, parabenizou os holandeses pelo resultado. "Holanda, oh Holanda, você é uma campeã", publicou em sua conta no Twitter.

Os presidentes da União Social Cristã (CSU), legenda irmã do partido de Merkel, Horst Seehofer, e do Partido Liberal Democrático (FDP), Christian Lindner, também comemoraram o resultado.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias