'Brasileiros se uniram em grande greve nacional' contra reforma da previdência, diz Telesur; veja repercussão

Imprensa latino-americana deu destaque à jornada de manifestações da última quarta-feira e citaram a paralisação nos transportes públicos de São Paulo, além dos protestos em Brasília

Os protestos contra a reforma da previdência, que tomaram ruas em diversas cidades pelo Brasil na última quarta-feira (16/03), foram pauta da imprensa internacional, em especial na latino-americana.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A emissora multiestatal Telesur deu ampla cobertura aos protestos e afirmou que “os brasileiros se uniram em uma grande greve nacional”, explicando que as manifestações foram convocadas pela CUT (Central Única dos Trabalhadores). O veículo também deu destaque à fala do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que discursou no protesto da avenida Paulista, em São Paulo.

“A reforma fará com que milhões e milhões de brasileiros não consigam se aposentar, fará com que os trabalhadores mais pobres, sobretudo os da zona rural no Nordeste, passem a receber metade de um salário mínimo”, criticou o presidente, citado pela Telesur.

Por sua vez, o Cubadebate, de Cuba, lembrou que as manifestações coincidiram com o início de uma greve geral dos trabalhadores da educação pública.

Já o La Jornada, do México, trouxe uma galeria das melhores fotos das manifestações pelo país. O periódico afirma que “a intenção do presidente brasileiro Michel Temer de aumentar os anos de contribuição e incrementar a idade mínima para se ter direito à aposentadoria provocou uma mobilização nacional”.

Fotos: Agência Efe

Manifestação na Paulista ocupou "15 quadras", afirma argentino Clarín

Vice-presidente da Venezuela acusa oposição de promover terrorismo após ataque a hospital infantil

Conselho de Segurança condena lançamento de mísseis da Coreia do Norte e exige que país abandone testes

Atirador abre fogo na avenida Champs-Elysées, em Paris

 

O jornal também citou o fato de que houve paralisação no transporte público em São Paulo e que centenas de manifestantes ocuparam o Ministério da Fazenda, em Brasília.

O boliviano El Deber, com o título "Fortes protestos no Brasil contra os ajustes de Temer", reproduziu uma reportagem da agência AFP que relata qu que aconteceu na capital federal. “Com cruzes brancas e um caixão de papelão instalados em frente ao Congresso, os manifestantes rechaçaram o projeto de reforma do sistema de aposentadorias que, se for aprovado sem mudanças, exigirá contribuições durante 49 anos para se obter o benefício integral das pensões”, afirma o texto.

Por sua vez, o argentino Clarín disse que o Brasil se encontra “convulsionado” por protestos e revelações sobre o caso da Petrobras, em referência à lista apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com nomes de políticos que teriam recebido dinheiro da construtora Odebrecht.

“Em São Paulo, pela primeira vez desde as grandes mobilizações de 2014 e 2015, a avenida Paulista foi literalmente tomada ao longo de 15 quadras. Uma estimativa prudente indica que 150 mil pessoas foram protestar contra o governo ‘temerista’ e contra as mudanças no sistema de aposentadoria. Como dizia um cartaz que uma mulher de cerca de 60 anos levava, sozinha: ‘lute agora ou trabalhe até morrer’”, afirma a reportagem.

O site russo Sputnik disse que os protestos contra a reforma “varreram todo o país” e fez um apanhado das manifestações pelo Brasil. A página lembrou a ocupação do Ministério da Fazenda, em Brasília, e citou as movimentações no Espírito Santo, em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.


Em Brasília, manifestantes levaram 'caixão' à Esplanada dos Ministérios

Leia Mais



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Milhares participam de Marcha pela Ciência

Protestos contra cortes na área científica propostos pela gestão Trump foram convocados em mais de 500 cidades; em Washington, cerca de 70 mil manifestantes se reúnem em frente à Casa Branca

 

À força, meu querer

Donald Trump e Kim Jong-un combinam guerra ao telefone: 'Duas ogivas de médio alcance. Assim acerta Tóquio, né?' 'Acho que devemos ter mais ousadia. Esse mundo tá muito chato. O Obama nem sabia fazer guerra direito. Coloca mais dois na Coreia, pode ser?'

 

Rafael Braga é condenado a 11 anos de prisão

Único condenado preso no contexto de junho de 2013, Braga estava em regime aberto com uso de tornozeleira quando foi preso por porte de 0,6 g de maconha, 9,3 g de cocaína e um rojão, que lhe foi atribuído pelos policiais que o prenderam

 

Mais Lidas