Estrangeiros levam quatro aeroportos por R$ 3,7 bilhões

Deutsche Welle
Alemã Fraport leva Fortaleza e Porto Alegre, francesa Vinci fica com Salvador, e suíça Zurich, com Florianópolis

O governo federal arrecadou nesta quinta-feira (16/03) 1,46 bilhão de reais com a concessão dos aeroportos de Porto Alegre, Salvador, Florianópolis e Fortaleza, o que representa um ágio de 94% sobre o valor inicial mínimo que esperava arrecadar. Esse valor deve ser pago à vista na assinatura do contrato. Se for considerado todo o período de concessão, o valor arrecadado sobe para 3,72 bilhões de reais, o que equivale a um ágio de 24% sobre o mínimo esperado.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

O grupo alemão Fraport (Frankfurt Airport Services) adquiriu as concessões dos aeroportos de Fortaleza por um valor total de outorga de 1,5 bilhão de reais (425 milhões na assinatura) e de Porto Alegre por um total 383,5 milhões de reais (290,5 milhões à vista).

O aeroporto de Salvador foi concedido à francesa Vinci Airports, com uma oferta de 1,59 bilhão de reais (660,9 milhões na assinatura do contrato), e o de Florianópolis ficou com a suíça Zurich International Airport AG, com uma oferta de 242,3 milhões de reais (83,3 milhões no ato).

Abacate passa petróleo e é produto mais lucrativo do México

Secretário-geral do Partido Comunista Português recebe Dilma e denuncia 'operação golpista' no Brasil

Idade mínima? Tempo de contribuição? Saiba como funciona a aposentadoria em outros países

 

Wikimedia Commons

Aeroporto de Salvador foi um dos que passou à inciativa privada

O leilão na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) marcou a primeira rodada de concessões do governo do presidente Michel Temer. O número de concorrentes ficou abaixo do de rodadas anteriores. A forte presença de empresas estrangeiras se deve aos desenvolvimentos da Operação Lava Jato, que revelou esquemas de corrupção envolvendo as principais construtoras do país.

Os quatro terminais respondem por 11,6% dos passageiros que circulam no território nacional e por 8,6% das aeronaves do tráfego aéreo brasileiro. Os prazos de concessão são de 25 anos, prorrogáveis por mais cinco, no caso do aeroporto de Porto Alegre, e de 30 anos prorrogáveis por mais cinco para os outros três aeroportos.

Além de pagar pela concessão, os vencedores do leilão terão de fazer investimentos que, no total, chegam a 6,6 bilhões de reais. As empresas terão que fazer melhorias imediatas, como atualização de sinalizações, e investir na ampliação dos terminais de passageiros, pátios de aeronaves e estacionamentos. No aeroporto de Salvador, a exigência é de construção de uma nova pista de pouso e decolagem, e, no de Florianópolis, de um novo terminal de passageiros e de um estacionamento.

Outros seis aeroportos brasileiros já foram concedidos à iniciativa privada: os terminais de Brasília, Guarulhos (SP), Viracopos (Campinas), Galeão (RJ), Natal/São Gonçalo do Amarante (RN) e Confins (MG).

KG/abr/ots

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

História Agrária da Revolução Cubana

História Agrária da Revolução Cubana
Este livro é um estudo sobre a saga da reforma agrária numa sociedade de origem colonial presa ao círculo vicioso do subdesenvolvimento. Fundamentado em farta documentação e entrevistas com técnicos e lideranças que participaram diretamente do processo histórico cubano, o trabalho reconstitui as barreiras encontradas pela revolução liderada por Fidel Castro para superar as estruturas materiais de uma economia de tipo colonial.
Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias