Ataque aéreo contra barco com refugiados mata mais de 30 pessoas no Iêmen

Refugiados somalis fugiam da violência da guerra civil no Iêmen para o Sudão, segundo a ONU; ainda não se sabe quem realizou a ação militar, mas fontes locais acusam a coalizão árabe que luta contra insurgentes houthis

Mais de 30 refugiados somalis morreram em um bombardeio aéreo contra o barco que usavam para fugir do Iêmen para o Sudão, informou a Organização das Nações Unidas nesta sexta-feira (17/03).


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi


A OIM (Organização Internacional para a Migração) informou que 31 pessoas faleceram, enquanto autoridades iemenitas divulgaram que há 33 vítimas fatais e 80 resgatados. Há muitas crianças e mulheres entre os mortos.

O ataque ocorreu ontem (16/03) e ainda não está claro quem realizou a ação militar, mas fontes locais acusam a coalizão árabe, que luta contra os rebeldes houthis, pelo bombardeio.

Em comunicado, o Acnur (Alto Comissariado da ONU para Refugiados) disse estar "horrorizado" com o ataque. A agência afirmou que há mais de 255 mil refugiados somalis vivendo no Iêmen no momento. 

Imagem do Brasil no exterior se deteriora rapidamente, diz fundação alemã ligada a partido de Merkel

Noruega anuncia corte de 50% em repasses contra desmatamento no Brasil em 1º dia de visita de Temer

Rússia cancela consultas com EUA como resposta à ampliação de sanções

 

O bombardeio ocorreu no estreito de Bab-el-Mandeb, que é constantemente vigiado e sobrevoado por aeronaves da coalizão árabe. O Iêmen está em conflito desde 2015, quando ocorreu uma insurreição da etnia houthi contra o governo local, acusado de discriminação pela minoria étnica.

Desde então, a Península Árabe - com o apoio dos Estados Unidos - decidiu apoiar o então governo iemenita e combate os houthis.

Com isso, ataques aéreos são realizados diariamente em diversas regiões do país, incluindo a capital Sanaa. 

 

*Com ANSA

 

Leia Mais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias