Funcionários da Alitalia farão nova greve no dia 5 de abril

Greve de 24h protesta contra mais de 2 mil demissões e cortes entre 22% e 32% nos salários; presidente defende 'sustentabilidade de longo prazo' da companhia aérea

Um dia após a direção da Alitalia apresentar seu plano de reestruturação aos sindicatos, as entidades decidiram fazer uma greve única de 24 horas de todos os funcionários da empresa no dia 5 de abril. A decisão, anunciada nesta sexta-feira (17/03), é uma forma de protestar contra a demissão de cerca de dois mil empregados que trabalham em funções da empresa "em terra" neste ano.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Segundo Claudio Tarlazzi, diretor de um dos sindicatos que representam os trabalhadores, o Uiltrasporti, essa foi "a única data possível" para a paralisação. No entanto, no dia 20 de março, haverá uma greve dos controladores de voos italianos que deve reduzir em 40% os voos da companhia italiana entre às 13h e às 17h (hora local).

Apesar de a empresa se comprometer a contratar cerca de 500 assistentes de voos e pilotos em 2019 e de adquirir nove aviões para viagens de longa distância no mesmo ano, os sindicatos lutam para manter o máximo de empregos possíveis na companhia. Além das demissões, fontes informam que os funcionários da Alitalia devem sofrer cortes entre 22% e 32% nos salários.

"As medidas relativas ao pessoal são dolorosas, mas necessárias, junto à redução dos custos operacionais, para estabilizar a situação financeira da companhia e garantir a sustentabilidade de longo prazo", disse o CEO da Alitalia, Cramer Ball.

Wikicommons

Funcionários da companhia aérea italiana Alitalia farão greve no dia 5 de abril

PIB da Itália tem maior crescimento desde 2010

OCDE: Espanha mantém crescimento do PIB, mas vê pobreza aumentar por falta de empregos de qualidade

Professores rejeitam oferta de governo 'insuficiente' e estendem paralisação na Argentina por aumento de salários

 

O presidente ainda acrescentou que "junto aos sindicatos e com o apoio do governo italiano, trabalharemos - como é justo e necessário - para buscar uma maneira de reduzir o máximo possível o impacto social do plano de pessoal envolvido".

No dia 23 de fevereiro, os funcionários da Alitalia também fizeram uma greve de 24 horas, que causou o cancelamento de 60% dos voos nacionais e internacionais programados para aquele dia.

A crise na companhia aérea ocorre após a Alitalia ter ficado à beira da falência há dois anos, quando 49% das ações da empresa terem sido compradas pela árabe Etihad Airways. Os outros 51% pertencem à holding CAI (Compagnia Aerea Italiana).



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas