Pesquisador descobre 'dente do pecado' na Pietà de Michelangelo

Descoberta simboliza que Jesus leva consigo 'pecados do mundo', afirma o historiador Marco Bussagli, da Academia de Belas Artes de Roma

A Pietà, famosa escultura do italiano Michelangelo que se encontra na Basílica de São Pedro, no Vaticano, é repleta de simbolismos e significados ocultos, como vários dos trabalhos do artista italiano. Mesmo assim, nem os mais apaixonados por arte devem ter percebido a simbologia presente em um dos dentes de Cristo na obra.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Na realidade, o detalhe, imperceptível para quase qualquer pessoa, mas intrigante assim que é descoberto, trata-se de um dente a mais na boca de Jesus, um quinto incisivo central, considerado o "dente do pecado" na época (século 15), mas chamado pelos dentistas atualmente de mesiodens, o dente supranumerário mais comum.

Wikimedia Commons

Em Pietà, Jesus está deitado no colo da Virgem Maria; obra fica na Basílica de São Pedro, no Vaticano

Itália registra menor taxa de desemprego em quatro anos

Miss italiana morre aos 28 anos por câncer de mama

Funcionários da Alitalia farão nova greve no dia 5 de abril

 

Mas porque Jesus Cristo teria um incisivo a mais? De acordo com o historiador de arte Marco Bussagli, da Academia de Belas Artes de Roma, a razão seria que Michelangelo queria mostrar na escultura que Cristo assumia para si todos os pecados do mundo.

 "A ideia de um quinto incisivo como o dente do pecado em realidade é anterior a Michelangelo, o exemplo mais antigo é a Pietà de Lorenzo Salimbeni", disse o italiano durante uma leitura inaugural do 28º Congresso Internacional de Odontologia e Saúde Oral, realizado na cidade de Rimini pela Società Italiana di Parodontologia e Implantologia.

 Além de Michelangelo, que utilizou [o quinto dente] em alguns dos rostos do [afresco] 'O Juízo Final' [da Capela Sistina], o símbolo também aparece nas ilustrações de [Sandro] Botticelli do demônio da 'Divina Comédia'", afirmou Bussagli. 



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas