Portugal, sob governo de centro-esquerda, registra menor déficit em 40 anos

Por outro lado, dívida pública aumentou para razão de 130,4% do PIB em 2016, após ter sido registrado 129% no ano anterior; governo credita resultado às políticas antiausteridade

Portugal, governado por uma coalizão de centro-esquerda, registrou em 2016 o menor déficit nas contas públicas em quatro décadas, registrando 2,1% do PIB, contra 4,4% em 2015. O número, divulgado na última sexta-feira (24/03), pode fazer com que o país saia do Procedimento de Déficit Excessivo (PDE), uma regra da União Europeia que exige que o índice fique abaixo de 3%.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Por outro lado, a dívida pública aumentou para a razão de 130,4% do PIB em 2016, após ter sido registrado 129% no ano anterior. Para 2017, o governo do socialista António Costa prevê déficit ainda menor (1,6%), assim como uma redução da dívida para 128,5%. A UE estabelece como índice aceitável dívida de 60% do Produto Interno Bruto.

szbalint/Flickr CC

Portugal registrou menor déficit em 40 anos; na foto, rua comercial de Lisboa

Venezuela, Peru, Canadá e mais 10 países se unem a banco de desenvolvimento liderado pela China

Ex-líder guerrilheiro Francisco Guterres Lu-Olo é eleito presidente de Timor-Leste

Uruguai registra aumento de 1,5% do PIB em 2016 e tem 14º ano seguido de crescimento econômico

 

A expectativa era de que o resultado do déficit ficasse em 2,4% do PIB no ano passado, de acordo com estimativas apresentadas por Lisboa à União Europeia.

O governo, liderado pelo socialista António Costa, afirma que o resultado se deve às medidas antiausteridade aplicadas desde 2015, quando tomou posse. Entre elas, estão a diminuição da jornada de trabalho do funcionalismo público para 35 horas semanais e a recriação de quatro feriados públicos. Além disso, no ano passado, um programa de regularização de dívidas com o fisco injetou mais 588 milhões de euros na economia portuguesa – o equivalente, segundo o jornal Público, a 0,3 ponto percentual do PIB.

O PDE é aplicado quando o déficit no orçamento supera 3% e a dívida pública, 60%. Por meio do procedimento, Bruxelas exige que o país em questão lance um programa de estabilidade de médio prazo e, caso os resultados não sejam atingidos, o membro do bloco pode ser multado.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Promoção 100 livros para os 100 anos da Revolução

Inspirada pela Revolução Russa, a Alameda Casa Editorial fez uma seleção de 100 livros com desconto de 20% e frete grátis. São livros que tratam da sociedade capitalista, do mercado de trabalho, do racismo, do pensamento marxista, das grandes depressões econômicas, enfim: do pensamento social que, direta ou indiretamente, foi influenciado pela revolução dos trabalhadores de 1917. Aproveite.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Mugabe reaparece em público após intervenção militar

Oficialmente em prisão domiciliar, presidente do Zimbábue é visto em público pela primeira vez desde que Forças Armadas assumiram o controle do país; sua saída do poder, após quase quatro décadas, ainda é incerta.