Ataque 'imprudente e irresponsável' reflete 'cegueira política e militar' dos EUA, diz Presidência da Síria

Em comunicado, gabinete de Bashar al Assad diz que 'ato ultrajante' demonstra que prevalecem 'políticas arraigadas' de Washington, 'representadas por ataques contra Estados, a opressão de povos e a tentativa de dominar o mundo'

Atualizada às 9:27

A Presidência da Síria divulgou nesta sexta-feira (07/04) um comunicado em que qualifica o ataque dos EUA contra uma base aérea de Damasco como um ato “imprudente e irresponsável” que reflete “uma cegueira política e militar”.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

“Em um agressão injusta e arrogante, os Estados Unidos atacou nesta sexta-feira o aeroporto de al Shairat nos arredores de Homs”, diz o comunicado do gabinete de Bashar al Assad, presidente da Síria, divulgado pela agência estatal de notícias Sana.

“Atacar um aeroporto de um Estado soberano é um ato ultrajante dos EUA que clarifica mais uma vez o que a Síria tem dito, de que a sucessão de administrações deste regime não muda as políticas arraigadas desta entidade, representadas por ataques contra Estados, a opressão de povos e a tentativa de dominar o mundo”, diz a Presidência síria.

O governo sírio encerrou dizendo que "se o regime norte-americano acredita que este ataque lhe permitiu dar apoio a seus agentes de gangues e organizações terroristas no terreno, a República Árabe da Síria reafirma que esta agressão aumentou a determinação síria em atacar os agentes terroristas e os continuar derrotando, e intensificar as ações contra eles onde quer que estejam no território sírio".

Washington realizou na madrugada desta sexta-feira a primeira ação militar direta contra Damasco, com um ataque aéreo com 59 mísseis lançados de navios militares no mar Mediterrâneo contra a base de Shairat, a 25 quilômetros de Homs.

Agência Efe / Arquivo

O presidente da Sìria, Bashar al Assad: ataque 'imprudente e irresponsável' reflete 'cegueira política e militar dos EUA'

Para russos, Stálin é 'figura mais notável de todos os tempos', indica pesquisa

Em nova gafe, Temer diz que viu, na Rússia, interesse dos empresários 'soviéticos' em investir no Brasil

Suprema Corte dos EUA aceita julgar veto migratório de Trump e permite que norma entre parcialmente em vigor

 
A Rússia classificou o ataque como uma “agressão contra um Estado soberano” e suspendeu a coordenação militar que mantinha com os EUA na Síria.
 
Segundo dados do Exército sírio e do Observatório Sírio de Direitos Humanos, o ataque deixou pelo menos 15 mortos, entre militares e civis, e dezenas de feridos e destruiu "quase por completo" a base aérea, a segunda mais importante das forças governamentais sírias, segundo um comunicado do Observatório.
 
O governo norte-americano acredita que desta base saíram os aviões sírios que bombardearam a cidade de Khan Sheikhoun na terça-feira (04/04), no que EUA, França e Reino Unido dizem ter sido um ataque químico deliberado de Assad contra civis sírios, que deixou mais de 70 mortos e 200 feridos.

No entanto, tanto o governo sírio como a Rússia, seu principal aliado, negam essa versão e sustentam que o ataque tinha como alvo um depósito dos terroristas do Estado Islâmico e da Frente Al Nusra que abrigava armas químicas – que depois atingiram os civis.

Leia Mais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Meu primeiro festival pornô

No PopPorn, festival de pornografia alternativa que acontece todos os anos em São Paulo desde 2010, repórter aprende sobre shibari e BSDM, acompanha performances sexuais e aprende como fazer seu próprio pornô