Irlanda aumenta estimativa e prevê crescimento econômico de 4,3% em 2017

País fechou 2016 com um aumento de 5,2% do PIB e espera crescer 4,3% em 2017 e 3,7% em 2018, ainda que saída do Reino Unido da UE seja um fator de incerteza, disse ministro da Economia irlandês

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O PIB (Produto Interno Bruto) da Irlanda deve crescer este ano 4,3%, quase um ponto percentual acima do previsto no fim de 2016, afirmou nesta segunda-feira (10/04) o ministro de Economia irlandês, Michael Noonan.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Segundo o ministro, as atividades produtivas e de serviços da Irlanda têm crescido em ritmo constante. O país fechou 2016 com um aumento de 5,2% do PIB, três anos depois de concluir o resgate financeiro solicitado em 2010 à União Europeia (UE) e ao FMI (Fundo Monetário Internacional) por 85 bilhões de euros.

Para 2018, os cálculos do governo indicam que o PIB poderia crescer 3,7%, ainda que a saída do Reino Unido da UE constitua um fator de incerteza para a economia do país, disse Noonan. “A República da Irlanda está mais exposta aos efeitos da Brexit do que qualquer outro país comunitário, mas até o momento seu impacto tem sido inferior ao esperado”, comentou.

Daniel Dudek / flickr CC

Vista de Dublin, capital da Irlanda: país é economia mais bem-sucedida na União Europeia por três anos seguidos

Uruguai registra aumento de 1,5% do PIB em 2016 e tem 14º ano seguido de crescimento econômico

Portugal, sob governo de centro-esquerda, registra menor déficit em 40 anos

Taxa de desemprego na Itália cai para 11,5% em fevereiro, mas 35,2% dos jovens estão sem trabalho

 

Diferentemente da Irlanda do Norte, a República da Irlanda não é parte do Reino Unido e seguirá sendo membro da UE e usando o euro como moeda. Em 2016, a economia irlandesa chegou a seu terceiro ano consecutivo com a maior expansão entre os membros do bloco.

A desvalorização da libra esterlina, moeda britânica, afeta a competitividade das exportações irlandesas, mas a força do euro permitiu baratear as importações de produtos do Reino Unido, um dos principais sócios comerciais da Irlanda, disse o ministro. “Esta situação é consistente com as tendências que se detectam no Reino Unido, nos Estados Unidos e nas economias da zona do euro”, afirmou.

A longo prazo, o divórcio entre Londres e Bruxelas poderia afetar Dublin, se se impõem barreiras ao comércio entre as duas partes ao fim das negociações sobre as condições da Brexit, apontou o ministro do governo do premiê Enda Kenny, do partido de centro-direita Fine Gael.

 

*Com Prensa Latina

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Escravidão e Liberdade

Escravidão e Liberdade

A editora Alameda traz uma seleção especial de livros escravidão, abolição do trabalho escravo e sobre cultura negra. Conheça o trabalho de pesquisadores que se dedicaram profundamente a esses temas, centrais para o debate da questão racial e da história do Brasil. 

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

O primeiro inverno

O outono ensolarado e de gelo faz um negócio com os corpos: ainda que haja tanto frio o calor do sol nos alegra os poros, como se se depositasse feito amante num hotel, deslizando sobre nossa pele