Primeira-ministra Theresa May antecipa eleições no Reino Unido para 8 de junho

Anúncio, feito de forma inesperada, foi feito na sede do governo, e tenta enfrentar reações ao Brexit, seja da oposição do Partido Trabalhista e dos Liberais Democratas, seja dos movimentos de independência na Escócia

A primeira-ministra do Reino Unido, a conservadora Theresa May, anunciou nesta terça-feira (18/04) que decidiu antecipar as eleições gerais para o próximo dia 8 de junho, sem esperar a data prevista para o pleito, que está inicialmente marcado para 2020.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

O anúncio, feito de forma inesperada, foi feito na sede do governo, em Downing Street, após uma reunião do Conselho de Ministros. May marcou as eleições apesar de ter rejeitado várias vezes nos últimos meses a possibilidade de realizar um novo pleito no país.

As eleições foram convocadas para tentar enfrentar as reações ao Brexit, que vem tanto da oposição do Partido Trabalhista e dos Liberais Democratas, quanto dos movimentos de independência na Escócia. Essa situação poderia enfraquecer o Reino Unido nas negociações com a UE. Um resultado pró-May no pleito reforçaria a posição dela nas negociações.

Candidato de esquerda Mélenchon cresce e empata com direitista em pesquisas para presidente da França

Irlanda aumenta estimativa e prevê crescimento econômico de 4,3% em 2017

Rússia veta na ONU resolução sobre Síria apresentada por EUA, Reino Unido e França

 

"O Brexit é de interesse nacional, mas os outros partidos se opõem", disse May, referindo-se à saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Admitindo que tinha excluído anteriormente a ideia de novas eleições, May disse que agora reconhece que este "é o único modo de garantir a estabilidade" do país. "Precisamos e precisamos fazer isso agora", disse.

Agência Efe

May antecipou eleições para 8 de junho

Ela também aproveitou a ocasião e pediu para os britânicos votarem na sua legenda, o Partido Conservador, para conduzir o processo de divórcio do país da União Europeia. May tomou posse em 13 de junho de 2016, após a renúncia do então premiê David Cameron. Ele deixou o cargo porque não conseguiu conter a vitória do "sim" no referendo que optou pelo Brexit. As pesquisas mostram uma vantagem dos conservadores para um próximo pleito.

Nas últimas eleições gerais, em maio de 2015, os Conservadores, do então premiê Cameron, conseguiram maioria folgada no Parlamento, sem necessidade de coligações.



Uma vez que você chegou até aqui...


…temos algo a sugerir. Cada vez mais gente lê Opera Mundi, mas a publicidade dos governos, com o golpe, foi praticamente zerada para a imprensa crítica, e a publicidade privada não tem sido igualmente fácil de conseguir, apesar de nossa audiência e credibilidade. Ao contrário dos sites da mídia hegemônica, nós não estamos usando barreiras que limitam a quantidade de matérias que podem ser lidas gratuitamente por mês. Queremos manter o jornalismo acessível a todos. Produzir um jornalismo crítico e independente custa caro e dá trabalho. Mas nós acreditamos que o esforço vale a pena, pois um jornalismo desse tipo é essencial num mundo que preza a democracia. E temos certeza de que você concorda com isso.


Torne-se um assinante solidário ou faça uma contribuição única.




(Este anúncio é diretamente inspirado numa solicitação feita pelo jornal britânico ‘The Guardian’. A imprensa independente de todo o mundo está buscando nesse tipo de apoio uma forma de existir e persistir.)


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

Diálogos do Sul

PUBLICIDADE

Últimas notícias

Mais Lidas