Portugal tem melhor crescimento trimestral em 10 anos e PIB registra aumento de 2,8%

Este é o melhor resultado para um trimestre desde o ano de 2007; no último de 2016, a economia portuguesa já havia tido incremento de 2%

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

Dados divulgados nesta segunda-feira (15/05) pelo INE (Instituto Nacional de Estatísticas) de Portugal mostram que o PIB (Produto Interno Bruto) do país cresceu 2,8% nos três primeiros meses de 2017 em comparação com o mesmo período de 2016. Em comparação com o trimestre anterior, o aumento foi de 1%.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Este é o melhor resultado para um trimestre desde o ano de 2007. No último trimestre de 2016, a economia portuguesa já havia tido um incremento de 2%.

O país, governado por uma coalizão de centro-esquerda, estabeleceu uma meta de aumento de 1,8% no PIB neste ano, mas, se o ritmo se mantiver, esse índice deve ser ultrapassado. A Comissão Europeia estimava que, no primeiro trimestre de 2017, Portugal crescesse apenas 0,4%.

Leia também: Sob governo de centro-esquerda, Portugal cresce mais do que o esperado pela União Europeia

Segundo o INE, as exportações puxaram o crescimento português, área em que o país tem superávit (ou seja, exporta mais do que importa).

Irlanda aumenta estimativa e prevê crescimento econômico de 4,3% em 2017

FMI eleva previsão de crescimento da economia mundial em um décimo, para 3,5%

Itália tem 'boom' de empresas abertas por imigrantes nos últimos quatro anos

 

Ann Wuyts / Flickr CC

Lisboa, capital portuguesa; com governo formado por coalizão de centro-esquerda, Portugal viu PIB crescer 2,8% nos três primeiros meses de 2017 em comparação com 2016

O primeiro-ministro António Costa (Partido Socialista) credita o resultado à “combinação equilibrada de políticas” que permitiu ao país ter “o menor déficit e também o maior crescimento dos últimos anos”.

Os dados “confirmam que a prioridade que foi dada à reposição de rendimentos das famílias portuguesas não comprometeu a competitividade, pelo contrário, reforçou a coesão e a confiança, que são indispensáveis ao crescimento”, disse Costa antes de um evento na cidade de Beja. “Aquilo que os dados têm consistentemente vindo a demonstrar desde meados de 2006 é que o ciclo de desaceleração da economia foi invertido e tem tido uma aceleração sustentada.”

Crescimento em 2016

Em 2016, o país cresceu 1,4%, de acordo com dados divulgados em fevereiro pelo INE. Este foi o primeiro ano completo do governo de Costa.

O número superou as expectativas da União Europeia e da própria administração. O bloco trabalhava com um incremento de 1,3%, enquanto o governo e a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) estimavam 1,2%, de acordo com dados do orçamento divulgados em outubro.

Segundo o INE, nesta oportunidade, o aumento do consumo interno no país foi em grande medida responsável pelo crescimento no PIB. Em 2015, o país já havia crescido 1,5%.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

'Fatos alternativos' é a 'despalavra' de 2017

Termo estimula substituição de argumentos factuais por afirmações não comprovadas para manipular debate público, diz júri; iniciativa quer chamar atenção para palavras que ferem dignidade humana ou democracia

 

Sob a fumaça, a dependência

Não são apenas os fumantes que estão atrelados a um hábito do qual é difícil se livrar; o Brasil, líder global na exportação de tabaco, oculta sob os dados econômicos um quadro social de efeitos devastadores

 

Cientistas descobrem o que dizimou astecas

Após cinco séculos de mistério, equipe internacional de pesquisadores detecta bactéria, levada por europeus, que teria sido responsável pela morte de 15 milhões de pessoas em apenas cinco anos