Trump recebe presidente turco e compara curdos com EI

Em visita de Recep Tayyip Erdogan à Casa Branca, o presidente dos EUA igualou PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão) e Estado Islâmico e disse que os dois grupos não devem ter 'lugar seguro para se recompor'

Dias após ter anunciado a decisão de armar os curdos das Unidades de Proteção Popular (YPG) para lutar contra o Estado Islâmico (EI), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que é preciso ter certeza de que o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) não tenha um "lugar seguro" para se recompor.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A declaração foi feita nesta terça-feira (16/05) durante a coletiva de imprensa do esperado encontro entre o mandatário e o seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, na Casa Branca, em Washington, em um período em que as relações bilaterais entre EUA e Turquia não estão as melhores, principalmente pelo anúncio do governo do Republicano.

"Apoiamos a Turquia na luta contra o terrorismo e nos esforços para reduzir a violência na Síria. Devemos ter certeza que o EI e o PKK não tenham nenhum lugar seguro para se recompor", disse o presidente norte-americano na reunião.

A Turquia sempre se opôs fortemente ao apoio dos EUA aos curdos no país, principalmente às YPG, consideradas pela nação como um grupo terrorista e uma extensão síria do PKK. Por isso, a ideia de enviar armas aos militantes curdos como um reforço contra o Estado Islâmico não agradou nem um pouco Erdogan e os líderes da sua administração.

Exercício militar sinaliza reaproximação entre Brasil e EUA a países sul-americanos, diz especialista

Diálogo entre Rússia e EUA está 'livre de ideologia' com Trump, diz Lavrov em Washington

Trump irá decidir o que é certo para os EUA, diz Tillerson sobre acordo climático de Paris

 

Agência Efe

Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia, e Donald Trump, presidente dos EUA, durante encontro na Casa Branca nesta terça-feira (16/05)

Já a comparação entre o EI e o PKK feita por Trump nesta terça surtiu o efeito contrário, positivo. Segundo o magnata republicano, foi "uma grande honra e um prazer receber o presidente Erdogan na sua primeira visita aos Estados Unidos em anos". "Os Estados Unidos e a Turquia são aliados há anos", disse Trump, relembrando a ajuda e aliança de Ancara durante a Guerra Fria e a Guerra das Coreias.

Por sua vez, Erdogan disse que seu país está determinado em ampliar a cooperação entre as duas nações já que "manter as relações [...] fortes é importante para a estabilidade e a paz do mundo". Sobre o terrorismo, o mandatário afirmou que o país está empenhado em "combater todas as formas de terrorismo, sem descriminalização" pois "não há espaço para organizações terroristas no futuro da região", explicou.

Além disso, o presidente turco elogiou o posicionamento do seu homólogo norte-americano na resposta ao ataque químico na Síria declarando-o justo e afirmando também que a eleição de Trump criou as novas "bases para uma nova era nas relações entre EUA e Turquia". 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Democracia

Democracia

A construção e a defesa da democracia envolve muitas áreas: feminismo, educação, história. Conheça alguns títulos da Alameda Casa Editorial sobre o tema.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias