Putin oferece registro de conversa de Trump com chanceler russo na Casa Branca

"Se o governo dos Estados Unidos der sua aprovação, estamos dispostos a apresentar o registro da conversa entre Lavrov e Trump ao Senado e ao Congresso", disse presidente Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta quarta-feira (17/05) que seu governo pode fornecer o registro do encontro entre o chanceler russo, Sergei Lavrov, e o mandatário norte-americano, Donald Trump, em meio à controvérsia sobre uma troca de informações confidenciais entre Moscou e Washington.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

"Se o governo dos Estados Unidos der sua aprovação, estamos dispostos a apresentar o registro da conversa entre Lavrov e Trump ao Senado e ao Congresso", disse Putin."É claro, somente se o governo dos EUA quiser", completou.

Após a declaração de Putin, um assessor do Kremlin afirmou que não há gravação em áudio da conversa e que o registro oferecido pelo presidente russo se trata de uma transcrição do encontro.

Trump e Lavrov tiveram um encontro oficial em Washington no último dia 10. Na segunda-feira (15/05), a imprensa norte-americana acusou o presidente dos EUA de ter fornecido dados confidenciais ao ministro das Relações Exteriores da Rússia. As revelações supostamente colocariam em risco o trabalho de um espião dos EUA na Síria que apura a atuação do grupo Estado Islâmico (EI).

Diálogo entre Rússia e EUA está 'livre de ideologia' com Trump, diz Lavrov em Washington

Trump defende 'direito' de partilhar informações com Rússia após ser acusado de revelar dados secretos

Trump recebe presidente turco e compara curdos com EI

 

Agência Efe

Putin ofereceu transcrição de conversa de russos com Trump na Casa Branca

O presidente dos EUA afirmou na terça-feira (16/05) ter “o absoluto direito” de compartilhar informações com a Rússia. “Como presidente, quis compartilhar com a Rússia (em uma reunião aberta e agendada na Casa Branca), o que eu tenho o absoluto direito de fazer, fatos concernentes a terrorismo e segurança de voos. Razões humanitárias, e eu ainda quero que a Rússia incremente bastante sua luta contra o Estado Islâmico e terrorismo”, escreveu Trump em seu perfil no Twitter.

A questão veio à tona no mesmo momento em que Trump é alvo de críticas nos EUA por demitir na semana passada o diretor do FBI, James Comey, responsável por investigar supostas relações do republicano com a Rússia e interferências de Moscou nas eleições presidenciais de 2016.

Em entrevista coletiva à imprensa após um encontro em Sochi com o primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni, Putin criticou o que ele considera tentativas de "desestabilizar" a política interna dos EUA. "Aqueles que estão desestabilizando a situação política interna dos EUA usando slogans anti-Rússia ou não entendem que eles estão trazendo essas baboseiras para seu próprio lado, e então são apenas estúpidos, ou eles entendem tudo, e então são pessoas perigosas e corruptas."

"De todo modo, este é um assunto dos EUA, e nós não queremos e não planejamos interferir", afirmou, acrescentando que considera os resultados do encontro entre Lavrov e Trump "muito positivos".

"Quanto aos resultados da visita do ministro das Relações Exteriores Lavrov aos EUA e ao seu encontro com Trump: consideramos muito positivos. Esta foi a primeira visita, uma visita de retribuição do nosso ministro das Relações Exteriores após termos recebido o secretário de Estado, Rex Tillerson, em Moscou. É uma prática internacional habitual e natural", disse o presidente russo. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Facebook: o que acontece com perfis de quem morre?

Na Alemanha, pais de uma adolescente tentam na Justiça acesso à conta da filha morta; processo aberto em tribunal berlinense chama atenção para o problema da herança digital de usuários de mídias sociais