Rússia critica 'interferências externas destrutivas' e se dispõe a buscar 'solução pacífica' na Venezuela

'Estamos prontos para falar com todas as forças políticas da Venezuela dispostas a dialogar', disse porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo após conversa telefônica entre Vladimir Putin e Nicolás Maduro

O governo da Rússia afirmou nesta quinta-feira (18/05) que está disposto a contribuir para buscar “uma solução pacífica” à crise política na Venezuela, caso Caracas queira a colaboração de Moscou.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, disse que seu país está disposto a contribuir para buscar a paz entre o governo de Nicolás Maduro e a oposição.

“A Rússia se manifestou e continua a fazê-lo sobre a resolução de conflitos internos na Venezuela através de meios pacíficos e civilizados. Estamos prontos para falar com todas as forças políticas da Venezuela dispostas a dialogar. Se fosse requerida a ajuda da Rússia no processo, proporcionaríamos assistência na medida solicitada", afirmou Zakharova.

A porta-voz russa descartou que a crise interna vivida pela Venezuela represente “uma ameaça à paz e à segurança da região”, em referência à consulta convocada na quarta-feira (17/05) pela embaixadora norte-americana Nikki Haley no Conselho de Segurança da ONU.

“Qualquer ação das partes envolvidas – o governo ou a oposição – deve ser tomada exclusivamente dentro do espaço legal da Constituição venezuelana e sem interferências externas destrutivas”, disse Zakharova, que convidou outros governos a trabalharem juntos para ajudar a “reduzir a tensão” na Venezuela.

Reprodução Twitter @DrodriguezVen

Vladimir Putin, presidente da Rússia, e Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, se falaram ao telefone nesta quinta-feira (18/05)

Venezuela: é 'muito preocupante' oposição não querer participar, diz chefe de comissão da Constituinte

Putin oferece registro de conversa de Trump com chanceler russo na Casa Branca

Venezuela prende seis colombianos suspeitos de participar de atos violentos em protestos

 

“A instigação de conflitos através da provocação de desordem pública e enfrentamentos é um caminho para lugar nenhum, que pode derivar em caos, derramamento de sangue e novas tragédias humanas”, afirmou a porta-voz em referência aos atos violentos em protestos antigoverno que têm acontecido quase diariamente na Venezuela e que já deixaram pelo menos 43 mortos no país.

Conversa entre Putin e Maduro

A chanceler venezuelana, Delcy Rodriguez, anunciou também nesta quinta-feira (18/05) que Maduro teve uma “excelente conversa” ao telefone com Vladmir Putin na manhã de hoje, na qual “consolidou uma relação estratégica” com o presidente russo. 

De acordo com comunicado divulgado pelo Kremlin, Putin recomendou a Maduro que busque resolver os problemas do país “dentro da legalidade”.

“Nicolás Maduro informou sobre a situação política interna na Venezuela e sobre as medidas para resolver a crise. O presidente da Rússia desejou sucesso ao governo da Venezuela para normalizar a situação e enfatizou a importância de que os problemas sejam resolvidos dentro da legalidade, de acordo com as leis nacionais”, diz o texto.

Putin e Maduro, segundo a nota, “conversaram sobre a situação no mercado do petróleo, também no contexto dos acordos entre os países membros da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e outros países (produtores) para reduzir os volumes de produção” de hidrocarbonetos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias