Esquerda espanhola apresenta moção de censura contra Rajoy por denúncias de corrupção envolvendo PP

Pablo Iglesias, líder do Podemos, é nome proposto pela coalizão Unidos Podemos como candidato a chefe do Executivo caso moção seja aprovada; uma das denúncias aponta financiamento ilícito a campanha de Mariano Rajoy em 2008

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A coalizão da esquerda espanhola Unidos Podemos apresentou nesta sexta-feira (19/05) uma moção de censura contra Mariano Rajoy, diante de escândalos de corrupção que envolvem o presidente de Governo e sua legenda, o conservador PP (Partido Popular).  


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

“O objetivo desta proposta é lançar uma mensagem clara: a alternativa de um país novo, que não tolera mais as práticas corruptas de saque da coisa pública implementadas pela direita governante”, declarou a deputada Irene Montero, porta-voz do Podemos no Congresso espanhol.

A Unidos Podemos havia anunciado no último dia 27 que apresentaria a moção de censura contra Rajoy devido à operação Lezo, um suposto esquema de corrupção na administração da empresa pública Canal de Isabel II, gestora da água em Madri.

Pelo menos 12 pessoas foram detidas – entre elas nomes importantes do PP, como o ex-governador da capital espanhola Ignacio González – por um suposto desvio de mais de 23 milhões de euros na empresa.  

Outra denúncia de corrupção divulgada essa semana pela Guarda Civil espanhola aponta que o PP de Madri teria financiado ilicitamente parte dos gastos de campanha de Rajoy para as eleições parlamentares de 2008.

Agência Efe / Arquivo

Pablo Iglesias, líder do Podemos, é nome proposto pela coalizão como candidato a chefe do Executivo caso a moção de censura seja aprovada

Massacre de Guernica, que inspirou Picasso, completa 80 anos

Juiz Sérgio Moro perdeu imparcialidade necessária para julgar Lula, diz advogado de ex-presidente

Parlamento espanhol aprova retirada de restos mortais de Francisco Franco de memorial

 

No epicentro desta estrutura de financiamento ilícito está a Fundescam (Fundação para o Desenvolvimento Econômico), entidade que recebia fundos públicos da Comunidade de Madrid que depois seriam utilizados para cobrir gastos de diferentes organismos direta ou indiretamente relacionados com o PP, emitindo faturas falsas.

A denúncia também indica que várias empresas entregavam dinheiro à Fundescam para financiar campanhas do PP e, em troca, recebiam contratos públicos de organismos do Estado controlados pelo partido.

Terceira força parlamentar na Espanha, depois do PP e do PSOE, a Unidos Podemos propôs seu líder, Pablo Iglesias, como candidato a chefe do Executivo caso a moção de censura seja aprovada.

“Esta iniciativa expressa a indignação cidadã, que assiste atônita não só à destruição de todos os serviços públicos com as políticas de cortes, como também da própria democracia”, declarou Alberto Garzón, coordenador da Esquerda Unida, legenda que forma a coalizão com o Podemos.

Garzón e Montero defenderam que sua proposta transcende o trâmite puramente parlamentar e dos partidos representados no Congresso, pois “responde à saturação da sociedade diante da impunidade dos políticos corruptos”.

Segundo a Constituição espanhola, o Congresso “pode exigir a responsabilidade política do Governo mediante a adoção por maioria absoluta da moção de censura”, ou seja, com o apoio de 176 de seus 350 membros.

A coalizão de esquerda tem 71 cadeiras na Câmara baixa do Congresso espanhol, e para aprovar a moção necessitaria do apoio do Partido Socialista (85 cadeiras) e de outros 20 deputados.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

'Fatos alternativos' é a 'despalavra' de 2017

Termo estimula substituição de argumentos factuais por afirmações não comprovadas para manipular debate público, diz júri; iniciativa quer chamar atenção para palavras que ferem dignidade humana ou democracia

 

Sob a fumaça, a dependência

Não são apenas os fumantes que estão atrelados a um hábito do qual é difícil se livrar; o Brasil, líder global na exportação de tabaco, oculta sob os dados econômicos um quadro social de efeitos devastadores

 

Cientistas descobrem o que dizimou astecas

Após cinco séculos de mistério, equipe internacional de pesquisadores detecta bactéria, levada por europeus, que teria sido responsável pela morte de 15 milhões de pessoas em apenas cinco anos