Coleção de objetos nazistas é encontrada em esconderijo na Argentina

Os 75 objetos estavam em um quarto secreto na casa de um comerciante de antiguidades; peças serão investigadas e expostas no Museu do Holocausto na capital argentina

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A Polícia Federal da Argentina descobriu perto de Buenos Aires um armazém clandestino com objetos nazistas – o maior na história do país.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Segundo a agência de notícias Associated Press, os 75 objetos estavam escondidos em um quarto, atrás de uma estante falsa, na casa de um comerciante de antiguidades em Beccar, ao norte da capital argentina.

Agência Efe

Alguns dos objetos nazistas encontrados em Beccar, ao norte de Buenos Aires (20/06)

"Os primeiros dados mostram que são peças autênticas", disse à AP na segunda-feira (19/06) a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich. Muitos achados estavam acompanhados por antigas fotos das peças, inclusive com Adolf Hitler usando alguns dos objetos encontrados.

Cristina Kirchner diz que Temer é 'farsante cafona' e sinaliza candidatura ao Senado argentino

Poder de compra dos trabalhadores da Argentina diminuiu desde início do governo Macri, diz estudo

Governo argentino distribui livros didáticos que 'ensinam' a não fazer greve

 

As peças serão investigadas e, depois disso, serão expostas no Museu do Holocausto de Buenos Aires.

Agência Efe

Alguns dos objetos nazistas encontrados em Beccar, ao norte de Buenos Aires (20/06)

Depois da Segunda Guerra Mundial, muitos líderes e oficiais nazistas fugiram para a América Latina e especialmente para a Argentina, e autoridades do país suspeitam que as peças tenham sido trazidas por algum deles.

O mais famoso entre os que se refugiaram na região foi Adolf Eichmann, um dos assessores principais de Hitler. Em 1960, ele foi detido por agentes secretos israelenses na Argentina, depois levado clandestinamente para Israel e enforcado. Outro foi Josef Mengele, que morreu em 1979 no Brasil.

Agência Efe

Alguns dos objetos nazistas encontrados em Beccar, ao norte de Buenos Aires (20/06)

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Escravidão e Liberdade

Escravidão e Liberdade

A editora Alameda traz uma seleção especial de livros escravidão, abolição do trabalho escravo e sobre cultura negra. Conheça o trabalho de pesquisadores que se dedicaram profundamente a esses temas, centrais para o debate da questão racial e da história do Brasil. 

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Irlandeses votam a favor da legalização do aborto

Maioria significativa respondeu com 'sim' em referendo sobre reforma da atual legislação do aborto na Irlanda, uma das mais restritivas da Europa; autoridades governamentais saúdam vitória da democracia em dia histórico

 

Philip Roth: um escritor aberto ao outro

Aos poucos, a geração de escritores que me formou e que foi decisiva na minha opção por estudar a literatura contemporânea vai terminando; e eu vou ficando cada vez menos contemporâneo