Ao lado de Temer, premiê da Noruega cobra solução para corrupção no Brasil

Depois das críticas de Erna Solberg, Temer tomou a palavra e declarou que visitaria o 'Parlamento brasileiro' e se encontraria com o 'rei da Suécia', quando na verdade visitou o Parlamento da Noruega e se reuniu com o rei norueguês, Harald V

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

A primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, criticou a corrupção no Brasil e disse estar preocupada com a operação Lava Jato e questões ambientais no país. A declaração se deu durante encontro oficial com Michel Temer em Oslo nesta sexta-feira (23/06).


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

A premiê afirmou em nome de seu país que “estamos preocupados com a Lava Jato e é preciso fazer uma limpeza e encontrar uma solução”. Solberg ainda disse que o Brasil vive uma época de “desafios” e “turbulência” e que está “preocupada com forças que querem reduzir” a proteção ambiental no país.

No encontro, a chefe de Estado confirmou que haverá um corte de quase R$ 200 milhões no envio de auxílio financeiro da Noruega para o Fundo Amazônia. O corte havia sido anunciado ontem pelo governo norueguês, que é o maior doador do fundo internacional para a preservação da Amazônia, e é a expressão concreta da insatisfação de Oslo com o aumento do desmatamento no Brasil no último ano.

Beto Barata / PR

'Estamos preocupados com a Lava Jato e é preciso fazer uma limpeza e encontrar uma solução', declarou Erna Solberg, primeira-ministra da Noruega

Em carta pública, diplomatas brasileiros defendem eleições para 'restabelecimento do pacto democrático'

'Back in the USSR': Planalto divulga viagem de Temer para a 'República Socialista Federativa Soviética da Rússia'

Brasil, um pária das Relações Internacionais

 

Depois das críticas de Solberg, Temer tomou a palavra e declarou que visitaria o “Parlamento brasileiro” e se encontraria com o “rei da Suécia”, quando na verdade visitou o Parlamento da Noruega e se reuniu com o rei norueguês, Harald V.

Em resposta à primeira-ministra, Temer afirmou que, no Brasil, "as instituições funcionam com regularidade extraordinária". "A democracia é algo plantado formalmente pela Constituição e praticada na realidade", disse o presidente que chegou ao poder por meio da destituição de Dilma Rousseff em 2016.

O peemedebista ainda disse que governa com “muito apoio do Congresso Nacional” e que “não é sem razão que as medidas tomadas são amparadas pela Constituição, prestigiadas e incentivadas pelo governo”. 

Temer ainda foi alvo de protestos em Oslo. Diante do prédio em que houve o encontro dos dois líderes, manifestantes seguravam placas em inglês com frases como “respeito à democracia”, “respeito aos indígenas” e “respeito aos direitos humanos”.

Para jornalistas brasileiros, Temer minimizou os efeitos do corte anunciado pela premiê e afirmou que “eles colaboram enormemente para o Fundo Amazônia; as explicações dadas por mim e pelo ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, deixaram claro que há uma revisão desses aspectos”.

Agência Efe

Manifestantes protestam contra Temer em Oslo (23/06)

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Faça uma pós agora!

Faça uma pós agora!

A leitura literária é um fator importante na construção de relações humanas mais justas. Do mesmo modo, a formação de leitores críticos é imprescindível para a constituição de uma sociedade democrática.

Por isso, torna-se cada vez mais urgente a abertura de novos e arejados espaços de interlocução qualificada entre os sujeitos que atuam nesse processo, em diversos contextos sociais.

A proposta do curso é proporcionar, por meio de discussões abrangentes e aprofundadas sobre a formação do leitor literário, uma reflexão ancorada principalmente em três áreas do conhecimento: a teoria literária, a mediação da leitura e a crítica especializada.

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Mulheres começam a dirigir na Arábia Saudita

Abertura é reflexo de uma mobilização de quase três décadas em defesa dos direitos das mulheres sauditas; as primeiras campanhas pelo direito a dirigir ocorreram nos anos 1990