Concurso internacional no Irã premia melhor charge contra Donald Trump

Ao todo, são seis tópicos no Concurso Internacional de Cartum e Caricatura do Trumpismo: racismo, imigração, o "muro", meios de comunicação, humilhação de mulheres e Twitter

Um concurso de charges e caricaturas com apenas um foco: Donald Trump. A Organização de Cartum do Irã promove um concurso voltado contra o republicano e recebeu inscrições de 75 países e 503 profissionais.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Ao todo, são seis tópicos no Concurso Internacional de Cartum e Caricatura do Trumpismo: racismo, imigração, o "muro", meios de comunicação, humilhação de mulheres e Twitter.

Sputnik Brasil conversou com exclusividade com dois participantes: Liz França e Carlos Latuff. Ambos concordam que falar do presidente estadunidense não é uma tarefa difícil. "Ele já é um personagem, aí fica impossível você ficar sem ideias", diz Liz, que classifica Trump como uma "piada pronta".

Tanto Latuff como Liz convergem em outro ponto. O topete e a expressão de "emburrado" do republicano são duas características chave para representá-lo. Latuff chegou até mesmo a ter um de seus trabalhos plagiados pelo residente da Casa Branca. Quando Trump ainda era pré-candidato, em abril de 2016, ele alterou os fatos e personagens de uma das charges de Latuff, que inicialmente apontava a recusa dos países do Golfo Pérsico em receber os refugiados do confronto sírio. Na versão postada por Trump, ele recusa os mesmos refugiados com a fala "desculpe, não no meu turno".

Agência Efe

Uma das visitantes olha para as caricaturas expostas em Teerã, capital do Irã, retratando o presidente dos EUA

'Suavidade sem fronteiras': Mexicano cria papel higiênico com marca 'Trump'

Em vídeo, ex-presidente mexicano diz a Trump que país não vai pagar 'pela porra de um muro'

Trump publica vídeo 'espancando' a CNN

 

"A extrema-direita, seja ela no Brasil ou nos EUA, não tem criatividade nenhuma. Então ela precisa se debruçar na cópia, precisa plagiar, para poder tentar fazer alguma coisa que chame atenção", diz Latuff sobre o episódio.

Esta não foi a primeira vez que o trabalho do chargista brasileiro tem repercussão internacional. A BBC Brasil já o classificou como "astro da primavera árabe".

"O Trump já é uma caricatura. Ele representa essa política belicista norte-americana, muito característica da era Bush, ou da era Regan, mas de uma maneira caricata. Ele é do show bussiness", analisa Latuff.

Reprodução 


Trump copiou o cartum de Latuff, mas alterou os personagens e falas

(*) Publicado originalmente em Sputinik Brasil

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Deputados barram lei de aborto aprovada pelo Senado no Chile

Projeto que autoriza aborto nos casos de risco de vida para a gestante, estupro ou má formação do feto vai a comissão mista para ser reavaliado; Michelle Bachelet criticou oposição por votar por 'ideologia ou religião' contra a lei

 

Notas sobre Marco Aurélio Garcia, um grande camarada

MAG combinou interesses econômicos e políticos com uma visão anti-hegemônica clara e firmou-se como leme de uma diplomacia que tinha o desenvolvimento e a construção de novas parcerias Sul-Sul como meta