Irã inaugura em Teerã maior biblioteca-jardim do mundo

Prédio se chama Jardim dos Livros de Teerã, tem cerca de 110 mil m² de área, capacidade para 240 mil obras e abriga livrarias, lojas, cinemas e centros científicos

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O governo do Irã inaugurou nesta semana na capital do país a maior biblioteca-jardim do mundo. O prédio, que se chama Jardim dos Livros de Teerã, tem cerca de 110 mil m² de área e capacidade para 240 mil livros.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Além das bibliotecas (no plural) do edifício, ainda há loja de artes e de ciências, dez salas de cinema, auditório, área de pesquisa universitária e centros científicos para crianças e adolescentes, nos quais poderão ser feitos experimentos educativos.

Haverá, ainda, a doação de exemplares de mais de mil títulos de livros aos visitantes.

“A inauguração do Jardim de Livros de Teerã é o maior acontecimento cultural do país no momento”, disse, durante a abertura do espaço, o prefeito da cidade, Mohammad Bagher Ghalibaf.

Confira o vídeo abaixo:

Retorno de bolivianos é 'nova vitória' sobre Chile, diz Evo

Morre jornalista Paulo Nogueira, fundador do site 'Diário do Centro do Mundo'

Concurso internacional no Irã premia melhor charge contra Donald Trump

 

Veja fotos da livraria:

Reprodução

 

Outras Notícias

X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

Publicidade

Escravidão e Liberdade

Escravidão e Liberdade

A editora Alameda traz uma seleção especial de livros escravidão, abolição do trabalho escravo e sobre cultura negra. Conheça o trabalho de pesquisadores que se dedicaram profundamente a esses temas, centrais para o debate da questão racial e da história do Brasil. 

Leia Mais

A revista virtual
desnorteada

O melhor da imprensa independente

Mais Lidas

Últimas notícias

Facebook e as notícias falsas

Notícias falsas são um problema grande para a democracia, e certamente vão ser utilizadas aos montes como arma política durante o processo eleitoral