'Não existe o melhor do capitalismo; ele é sempre selvagem', diz filósofo cubano

Em entrevista ao Cubadebate, Enrique Ubieta descartou possibilidade de políticas centristas serem implementadas na ilha; para ele, centristas trariam capitalismo 'pela porta da cozinha'

Em entrevista publicada no site Cubadebate nesta quinta-feira (06/07), o intelectual cubano Enrique Ubieta rejeitou a existência de uma "parte boa" do capitalismo e a possibilidade da chamada "Terceira Via" ser aplicada em Cuba.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

“Não existe o melhor do capitalismo, como se este pudesse ser depurado, como se um bom capitalismo fosse factível”, afirmou o filósofo, jornalista e ensaísta, para quem não existe um "lado bom" do capitalismo: “Ele é sempre selvagem”.

Sobre a possibilidade de aplicar políticas de centro em Cuba, o intelectual afirmou que “o centro usaria a cultura política da esquerda para introduzir o capitalismo ‘pela porta da cozinha’”. Para o cubano, ideias centristas seriam obrigadas a se apropriar do discurso da esquerda para obter sucesso dentro de uma sociedade como a cubana.

Reprodução/Youtube

Centristas introduziriam capitalismo 'pela porta da cozinha', disse Ubieta

Filha de ex-ditador cubano Fulgencio Batista é descoberta morando na rua em cidade da Flórida

Sistema neoliberal coloca trabalhadores uns contra os outros, diz Noam Chomsky

Parlamento europeu aprova retomada de relações entre Cuba e UE após 20 anos de distanciamento

 

Ubieta ainda comentou sobre o processo eleitoral em países capitalistas. "No sistema eleitoral capitalista supostamente existe uma esquerda e uma direita, mas essa esquerda, cuja matriz ideológica é a socialdemocracia, que em suas origens era marxista e pretendia reformar o capitalismo até fazer com que ele gradualmente desaparecesse, hoje funciona ao sistema e renegou o marxismo, e se diferencia dos partidos conservadores em suas políticas sociais e em sua compreensão sem preconceitos da diversidade", avalia.

Para o intelectual, este sistema eleitoral funciona como um mercado no qual o eleitor se comporta como um cliente, podendo escolher entre esquerda e direita, mas sem nunca se satisfazer. “O eleitor está farto de que os partidos de direita e esquerda se alternem e apliquem políticas similares e então o sistema constrói uma falsa terceira via”, afirma.

Sobre possíveis grupos de oposição que visam o poder em Cuba, o filósofo disse existir uma “burguesia aspirante”, porém sem o apoio necessário para chegar ao poder. “Se a burguesia tentar tomar o poder em Cuba, vai precisar de uma força exterior que a respalde”, disse Ubieta, aludindo a uma possível interferência estrangeira na ilha.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Deputados barram lei de aborto aprovada pelo Senado no Chile

Projeto que autoriza aborto nos casos de risco de vida para a gestante, estupro ou má formação do feto vai a comissão mista para ser reavaliado; Michelle Bachelet criticou oposição por votar por 'ideologia ou religião' contra a lei

 

Notas sobre Marco Aurélio Garcia, um grande camarada

MAG combinou interesses econômicos e políticos com uma visão anti-hegemônica clara e firmou-se como leme de uma diplomacia que tinha o desenvolvimento e a construção de novas parcerias Sul-Sul como meta