Governo da Venezuela lança plano nacional de parto humanizado

Iniciativa pretende reverter 'paradigmas do capitalismo selvagem e materialista' sobre o parto, disse o presidente Nicolás Maduro; programa integrará médicos comunitários, parteiras e médicos cubanos que atuam no país

Esteja sempre bem informado
Receba todos os dias as principais notícias de Opera Mundi

Receba informações de Opera Mundi

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, lançou nesta terça-feira (11/07) um Plano Nacional de Parto Humanizado, que pretende erradicar a violência obstétrica e atender até 500 mil gestantes por ano no país.


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

“A gravidez é um processo eminentemente social e nós temos que mudar os paradigmas que foram semeados nos últimos 100 anos, de capitalismo selvagem e materialista, que fez perder a cultura da companhia materna e familiar”, disse o mandatário no ato de lançamento do programa no Palácio de Miraflores, sede do governo, em Caracas.

Segundo Maduro, o plano irá combinar avanços da ciência e conhecimentos ancestrais para atender as gestantes venezuelanas. A ministra para Mulheres e Igualdade de Gênero da Venezuela, Blanca Eekhout, disse que no programa trabalharão médicos comunitários, parteiras com formação em parto humanizado, representantes do Ministério da Saúde e das áreas de Saúde Integral Comunitária e médicos cubanos que atuam no país.

Twitter / @presidencialven

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, durante o lançamento do Plano Nacional de Parto Humanizado com ministras e agentes comunitárias de saúde

Seis em cada dez jovens argentinos de até 17 anos são pobres, aponta estudo

Equador é 'líder mundial' em tratamento a refugiados, diz representante do Acnur

Cuba celebra 20 anos da recuperação dos restos mortais de Che Guevara

 

Em sua primeira fase, o plano irá atender 900 gestantes, cadastradas durante visitas domiciliares, que receberão assistência desses profissionais ao longo da gravidez e no momento do parto. Em sua segunda fase, o programa chegará a 3.057 que estão sendo contatadas para participar da iniciativa, e a intenção é que chegue às 500 mil mulheres que engravidam no país a cada ano, segundo Maduro.

O governo alocou 12 bilhões de bolívares (cerca de R$ 3,8 bilhões) para o plano, que serão destinados, entre outras medidas, à formação de 10 mil promotoras comunitárias do parto humanizado e a uma campanha de conscientização sobre a importância da atenção humanitária às gestantes.

O presidente venezuelano disse também que espera que a Assembleia Nacional Constituinte, cuja eleição será realizada no próximo dia 30, dê caráter constitucional ao plano, que contempla consultas médicas mensais e acesso a medicamentos de modo gratuito.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Receba informações de Opera Mundi

Destaques

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

'Fatos alternativos' é a 'despalavra' de 2017

Termo estimula substituição de argumentos factuais por afirmações não comprovadas para manipular debate público, diz júri; iniciativa quer chamar atenção para palavras que ferem dignidade humana ou democracia

 

Sob a fumaça, a dependência

Não são apenas os fumantes que estão atrelados a um hábito do qual é difícil se livrar; o Brasil, líder global na exportação de tabaco, oculta sob os dados econômicos um quadro social de efeitos devastadores

 

Cientistas descobrem o que dizimou astecas

Após cinco séculos de mistério, equipe internacional de pesquisadores detecta bactéria, levada por europeus, que teria sido responsável pela morte de 15 milhões de pessoas em apenas cinco anos