Polícia alemã investiga saudação nazista em show de rock

Deutsche Welle
Vídeo divulgado em redes sociais mostra neonazistas fazendo repetidamente saudação de Hitler em festival no estado da Turíngia; evento de extrema-direita atraiu seis mil pessoas.

A polícia da Turíngia, no leste da Alemanha, está analisando um vídeo divulgado nas redes sociais no qual neonazistas claramente fazem a saudação de Hitler durante um show realizado no sábado passado (15/07).


Clique e faça agora uma assinatura solidária de Opera Mundi

Segundo a polícia, o vídeo foi gravado durante um festival de rock de extrema direita realizado na cidade de Themar. Nele, dezenas de pessoas da plateia fazem repetidamente o gesto, que é proibido na Alemanha.

A polícia pediu a usuários do Facebook e do Twitter que lhe enviem eventuais gravações, pois o vídeo original foi apagado pelo usuário que o postara.

A polícia do estado alemão também está sendo alvo de críticas por não ter cancelado o show. Segundo o governo da Turíngia, a polícia registrou 46 ocorrências durante o evento, entre elas o uso de símbolos de organizações proibidas, ameaças, agressões e violações da legislação sobre o porte de armas.

Seis pessoas foram detidas de forma preventiva, e as autoridades identificaram outros 440 suspeitos. O show reuniu cerca de 6 mil pessoas, a ampla maioria delas membros da extrema direita alemã.

AS/dpa

Polícia de Hamburgo pede reforços durante cúpula do G20

Manifestação no último dia do G20 reúne mais de 75 mil pessoas em Hamburgo

Hamburgo registra mais protestos e detenções após encerramento da cúpula do G20

 

picture-alliance/dpa-Zentralbild/B. Schackow

Pessoas que foram a Themar, no estado alemão da Turíngia, para assistir a um show de rock de extrema-direita

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Outras Notícias

PUBLICIDADE
X

Assine e receba as últimas notícias

Destaques

Publicidade

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Um livro fundamental para a luta das mulheres brasileiras

Este livro traz de volta, depois de anos esgotado, o texto "Breve Histórico do Feminismo no Brasil", da pesquisadora e militante Maria Amélia de Almeida Teles. E acrescenta seis ensaios da autora, que tratam de temas como o aborto, a luta pela creche, a violação dos direitos humanos das mulheres durante a ditadura militar, a repressão contra as crianças no período e ainda o feminicídio.

Leia Mais

O melhor da imprensa independente

PUBLICIDADE

A revista virtual
desnorteada

Mais Lidas

Últimas notícias

Deputados barram lei de aborto aprovada pelo Senado no Chile

Projeto que autoriza aborto nos casos de risco de vida para a gestante, estupro ou má formação do feto vai a comissão mista para ser reavaliado; Michelle Bachelet criticou oposição por votar por 'ideologia ou religião' contra a lei

 

Notas sobre Marco Aurélio Garcia, um grande camarada

MAG combinou interesses econômicos e políticos com uma visão anti-hegemônica clara e firmou-se como leme de uma diplomacia que tinha o desenvolvimento e a construção de novas parcerias Sul-Sul como meta